28/06/2020 às 07h11min - Atualizada em 28/06/2020 às 07h11min

Coluna - Edinho Duarte

NO COMPASSO DA ESPERA

Por Edinho Duarte
Edinho Duarte. Foto:Arquivo Pessoal.

Na arte de esperar, tem dia que as coisas ficam muito mais difíceis. Vivemos o tempo todo entre o bem e o mal, e você pode ser vítima da obra do mal, porque a obra do mal é humana, quando se faz presente através do desejo de vingança no lugar do dever de fazer justiça.

A dor que você sente é tanta, que as vezes você deseja se livrar dela de alguma maneira. Contudo, somente pelo poder da fé, dessa dor, nasce uma enorme vontade de viver para vencer esses desafios da vida que são impostos como provas, pelas quais você tem que passar para o crescimento e aprimoramento pessoal, adotando como Mantra a certeza de que "Deus está agindo e providenciando a verdadeira justiça para o seu caso". 

O tempo passa e cada vez que fica mais difícil suportar a espera pela reparação, me submeto resignadamente à essa dor, como prelúdio da cura que pode abrandar a amargura das provas que ainda tenho que passar. E como diz Allan Kardec no Evangelho de Jesus Cristo, segundo o espiritismo: [...] "O homem sofre tanto mais, quanto mais considera longa a duração de seu sofrimento". Todavia a esperança de um futuro melhor e mais feliz, me sustenta e me encoraja a fugir das lamentações e à agradecer a Deus pelos sofrimentos que me fazem progredir espiritualmente. 

A fé no futuro me consola e me proporciona paciência para entender as vicissitudes da vida. E nos dias mais difíceis quando, ao invés de ser consolado tenho que consolar meus entes queridos, percebo que Deus pode estar me usando para algum propósito. Por isso, acredito que nada na vida é arbitrário - tudo tem um propósito! E como diz o escritor americano Rick Warrem: “nada é mais importante do que conhecer os propósitos de Deus para sua vida e as vantagens de uma vida dirigida com propósitos. Sem um propósito, a vida não passa de um momento existencial sem sentido, sem direção, podendo se tornar inútil e banal” .  Em tempos de grandes dificuldades, a falta de direção e autogestão emocional, podem causar transtornos psicológicos, como ansiedade e depressão. Isso pode explicar o alto índice de suicídio, que segundo as estatísticas está matando muito mais do que a AIDS na atualidade. Uma decepção, uma esperança que se foi, uma injustiça de que se tornou vítima, o orgulho ou a vaidade feridos, são tormentos que podem fazer da sua vida uma angústia sem fim, quando você se deixa levar por uma verdadeira tortura de não entender os fenômenos humanos. 

É quando precisamos compreender a percepção psicológica do homem, em virtude do axioma -“o todo é mais importante, do que a soma de todas as partes". E aprender a valorizar as pequenas coisas encobertas pelo ponto cego da vida.

Hoje sei que as situações ou circunstâncias desfavoráveis e as tribulações da vida, não são somente incidentes que devem ser recebidos com paciência, resiliência e resignação, pois sabe-se que podem ser de curta duração e devem ser seguidos por situações mais felizes; são na verdade a certeza de que dias melhores virão. 

Todos os dias procuro pensar positivamente! O pensamento tem profundas e variáveis cogitações. E temos então que tomar cuidado com o julgamento que somos levados a fazer das pessoas em determinadas situações da vida. Sempre digo o seguinte: ... "quando você quiser falar, se coloque no lugar de quem está ouvindo e quando você quiser julgar, se coloque no lugar de quem está sendo acusado”.

Esperar não é fácil, é um processo doloroso. A dor que eu sinto está na periferia do meu espaço e no centro do meu universo. É maior do que você entende e muito maior do que eu consigo explicar, mas eu não desisto da vida! Sinto que Deus está comigo, providenciando os triunfos da verdadeira justiça!



Edinho Duarte 
Jornalista, Pedagogo e ex-deputado estadual
Notícias Relacionadas »
Comentários »