26/06/2021 às 15h14min - Atualizada em 26/06/2021 às 15h14min

O PODER DO SILÊNCIO

Edinho Duarte Jornalista, Pedagogo e ex-deputado estadual. Foto: Arquivo Pessoal

Nesta manhã de domingo, ainda no leito da minha cama, me peguei ouvindo o silêncio e me veio na mente uma reflexão sobre a ausência de barulho. Isso já me aconteceu diversas vezes, em determinadas circunstâncias da minha vida, momento em que mesmo no mais profundo silêncio que “incomoda” , você consegue perceber o barulho como pano de fundo da necessidade de ouvir.

Ouvir o latir do cachorro, o bater do martelo distante, os pássaros cantando como trilha sonora daquela ocasião, quando as portas se abrem e se fecham, na certeza de que você não está sozinho, e percebe a presença de uma força superna que chega em “silêncio”, fazendo revelações profundas sobre o significado desse momento especial.

Em busca de algo, além do aqui agora, resolvi escrever o poema. “O poder do silêncio” para aqueles que acreditam na inspiração através do poder da fé, do autoconhecimento e do amor de Deus, como caminhos seguros para transformação do ser:

                Quando o silêncio profundo
                Não é ausência de barulho
                Mesmo sem luz é possível ver no escuro
                O monólogo se torna diálogo
                Pelo amor ou pela dor
                Apelo desesperado
                Da criatura ao criador
                É preciso coragem de se ver
                No muro das lamentações, entender...
                No bate-papo com o além
                Fugir da condição de refém
                Para se tornar digno de VENCER

Acredito que nada acontece de forma aleatória, isolada e independente na vida da gente. Só é preciso ter fé, independentemente da sua religião.

Penso que a religião da humanidade do futuro será a mística, isto é, a experiência mística da paternidade única de Deus, manifestada na vivência ética do amor e da fraternidade universal dos homens.

Os fatos agem em conjunto, conforme determinação divina, levando em consideração que para Deus somos joias moldadas pelo martelo e pelo cinzel da adversidade.

Para fazer um bolo você utiliza farinha de trigo, fermento, ovos, açúcar e óleo. Ingeridos isoladamente, esses ingredientes são extremamente desagradáveis, mas depois de juntos e assados tornam-se absolutamente deliciosos.

Moral da história, se você entregar à Deus as suas experiências vividas, Ele as misturará para que se tornem agradáveis, levando em consideração suas virtudes e defeitos. E você sabe que está amadurecendo, quando começa a perceber as mãos divina nos acontecimentos aleatórios e confusos da vida, aparentemente sem sentido.

E lembre-se: muitas vezes, é ouvindo o silêncio que encontramos as melhores respostas para seguir em frente!

BOM DIAAA!
"Acorde para vencer,
Desperte para ser feliz
Tags »
Leia Também »
Comentários »