18/09/2021 às 14h13min - Atualizada em 18/09/2021 às 14h13min

RIHAN BAENA PARTIU. DEU CABO À VIDA. QUAL DE NÓS AINDA NÃO ENFRENTOU, NA FAMÍLIA, UM CASO DE DEPENDÊNCIA QUÍMICA; DE CÂNCER OU DE TENTATIVA, OU, PIOR, A CONSECUÇÃO DE SUICÍDIO? NÃO PODEMOS PERMANECER EM SILÊNCIO

Marcos Reátegui Advogado, ex-procurador geral do estado, ex-deputado federal, atual delegado da Polícia Federal. Foto:Arquivo Pessoal
Conheça mais sobre o trabalho que desenvolvi na página /DepMarcosReategui do facebook. Contribuições e questionamentos serão recebidos através do e-mail reategui1@yahoo.com.br
 
• Rihan Baena, jovem com cerca de 30 anos de idade, deu fim à própria vida no dia de ontem, 17/09/2021. Convivi com ele e sua alegria na quadra junina. Amado pelos amigos, era uma pessoa alegre e comunicativa. Causou surpresa, estupefação e enorme sofrimento para todos nós o ocorrido. Descanse em paz, querido amigo, que sua partida precoce seja um alerta para o despertar das autoridades e sociedade em geral para o enfrentamento das causas desse horrível flagelo.
 
• Irônica e perveersa coincidência, estamos no mês da campanha: Setembro Amarelo salva vidas!  Campanha da Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP feita em parceria com o Conselho Federal de Medicina – CFM. 
 
• Mas lamentavelmente ela não chegou a tempo ao nosso amigo. Dia 10 de setembro foi o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Dia 17 um jovem de 30 anos partiu, não resistiu ao apelo suicida, não encontrou razões para permanecer entre nós e se foi. 
 
• Não poderemos mais nos emocionar com suas falas, nos alegrar com seus sorrisos na quadra junina, nem compartilhar as dores e conquistas. Mas podemos, sim, devemos compartilhar informações para melhor compreensão do fenômeno e evitar casos futuros. O dia de prevenção deve ser todos os dias. Cada um de nós é responsável pelo semelhante.
 
• Segundo informações já divulgadas por vários órgãos são 13 mil suicídios todos os anos no Brasil e mais de 01 milhão no mundo. É uma pandemia silenciosa e traiçoeira. 
 
• Publico abaixo texto do “CENTRO DE VALORIZAÇÃO DA VIDA PROGRAMAS DE PREVENÇÃO DO SUICÍDIO E SAÚDE MENTAL”, visando alertar sobre esse problema que acomete tantas pessoas, de todas as idades, e que precisa ser mais bem enfrentado pelas famílias e, principalmente, pelas autoridades. Não temos programas de apoio eficazes, embora proteger o direito a saúde e a vida seja dever constitucional do Estado. 
 
• “MOMENTO DE DERRUBAR TABUS
As razões podem ser bem diferentes, porém muito mais gente do que se imagina já teve uma intenção em comum. Segundo estudo realizado pela Unicamp, 17%dos brasileiros, em algum momento, pensaram seriamente em dar um fim a própria vida e, desses 4,9% chegaram a elaborar um plano para isso. Na maioria das vezes, no entanto, é possível evitar que esses pensamentos suicidas virem realidade. A primeira medida preventiva é a educação: é preciso deixar de ter medo de falar sobre o assunto, derrubar tabus e compartilhar informações ligadas ao tema. Como já aconteceu no passado, por exemplo, com doenças sexualmente transmissíveis ou câncer, a prevenção tornou-se realmente bem-sucedida quando as pessoas passaram a conhecer melhor esses problemas. Saber quais as principais causas e as formas de ajudar pode ser o primeiro passo para reduzir as taxas de suicídio no Brasil, onde hoje 32 pessoas por dia tiram a própria vida. Por isso, é essencial deixar os preconceitos de lado e conferir alguns dados básicos sobre o assunto.
 
• PENSAR EM SUICÍDIO FAZ PARTE DA NATUREZA HUMANA
 
1. COMO PODEMOS DEFINIR O SUICÍDIO? Suicídio é um gesto de autodestruição, realização do desejo de morrer ou de dar fim à própria vida. É uma escolha ou ação que tem graves implicações sociais. Pessoas de todas as idades e classes sociais cometem suicídio. A cada 40 segundos uma pessoa se mata no mundo, totalizando quase um milhão de pessoas todos os anos. Estima-se que de 10 a 20 milhões de pessoas tentam o suicídio a cada ano. De cada suicídio, de seis a dez outras pessoas são diretamente impactadas, sofrendo sérias consequências difíceis de serem reparadas. 
 
2. O QUE LEVA UMA PESSOA A SE MATAR? Vários motivos podem levar alguém ao suicídio. Normalmente, a pessoa tem necessidade de aliviar pressões externas como cobranças sociais, culpa, remorso, depressão, ansiedade, medo, fracasso, humilhação etc. 
 
3. COMO SE SENTE QUEM QUER SE MATAR? No momento em que tem ideias suicidas, a pessoa combina dois ou mais sentimentos ou ideias conflituosos. É um estado interior chamado de ambivalência. Ela busca atenção por se sentir esquecida ou ignorada e tem a sensação de estar só – uma solidão sentida como um isolamento insuportável. Muita gente tem um desejo de revide ou imposição do mesmo sentimento negativo aos outros, querendo que sintam o mesmo que ela. Outras pessoas sentem vontade de desaparecer, fugir ou de ir para um lugar ou situação melhor. Quase sempre, sentem uma necessidade de alcançar paz, descanso ou um final imediato aos tormentos que não terminam. 
 
4. O SENTIMENTO E O IMPULSO SUICIDAS SÃO NORMAIS? Pensar em suicídio é uma coisa que faz parte da natureza humana, e é estimulada pela possibilidade de escolha. O impulso também é uma reação natural, porém é mais comum nas pessoas que estão exaustas por dentro e emocionalmente fragilizadas diante de situações que despertam possibilidade de suicídio. 
 
5. QUEM SE MATA MAIS: MENINOS OU MENINAS? Os meninos normalmente se matam mais, embora elas tentem mais vezes do que os meninos. Essa tendência também acompanha os adultos, por causas culturais relacionadas a costumes e preconceitos sociais”. 
• Há causas de natureza espiritual/emocional, causas de natureza orgânica e causas sociais. Em todas é possível trabalhar preventivamente. Contudo, o Estado não cumpre suas funções; não cumpre o dever constitucional de disponibilizar o direito à  saúde e proteger a vida.
 
• A sociedade como um todo está cada dia mais revoltada e alerta, transbordando indignação que será o catalizador para mudar as pérfidas estruturas de poder que nos governam. Por isso acompanhamos juntos, cada vez mais, as reações à má gestão e ao desvio de recursos públicos. Os governantes dos poderes estão constatando que a política praticada não é mais suportável. Os Sans-culottes do Amapá irão derrubar o Setentrião e adjacências…pelo voto. É questão de tempo! Eu não pagaria para ver!

https://www.setembroamarelo.com/
Relacionadas »
Comentários »