09/10/2021 às 19h22min - Atualizada em 09/10/2021 às 19h22min

Olha, eu vou te falar!

José Caxias Radialista, jornalista e comentarista. Foto:Arquivo Pessoal.
Curiosidades do Círio de Nazaré.

A corda do círio foi introduzida pela primeira vez na procissão em 1855 com o objetivo de puxar a berlinda que levava a imagem de Nossa Senhora de Nazaré devido a água que transbordava da Baia de Guajará na área do Ver-o-Peso.

O elemento só foi oficializado em 1868. A corda do Círio possuía inicialmente um formato de U, dividido em duas fileiras que vinham de homens e mulheres, com os dois lados atrelados a berlinda.

Esse formato foi introduzido pela primeira vez em 1922 e foi usado até 2004. Desde 2005, a corda utiliza um formato linear, com cinco estações confirme o rosário católico, além do núcleo da cabeça que inicia a corda e o núcleo da berlinda que leva a imagem peregrina. A corda possui 400 metros de cumprimento e duas polegadas de diâmetro.

Inicialmente, o Círio ocorria entre os meses de setembro e novembro, sem data especifica. Apenas em 1901, o bispo Dom Francisco de Rego Maia oficializou o segundo domingo de outubro como data oficial da grande romaria.

A berlinda foi introduzida pela primeira vez no Círio em 1882 por sugestão do Bispo Dom Macêdo Costa, já que até então a imagem de Nossa Senhora de Nazaré era carregada no colo de um capelão do Palácio do Governo em um palanque, carregado por quatro ou seis homens. A berlinda foi introduzida pela primeira vez no Círio em 1882 por sugestão do Bispo Dom Macêdo Costa, já que até então a imagem de Nossa Senhora de Nazaré era carregada no colo de um capelão do Palácio do Governo em um palanque, carregado por quatro ou seis homens.

Com a berlinda, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré passou a ir sozinha. Até a introdução da corda, o carro era puxado por cavalos. Em 1926, a berlinda é substituída por um andor, fruto de mudanças sugeridas pelo então Arcebispo de Belém, Dom João Irineu Joffily, ficando até 1930, quando voltou a ser utilizada. Entre esse período, a corda também deixou de ser utilizada, voltando no ano seguinte junto com a berlinda. Há cinco versões da berlinda oficial, sendo a atual usada desde 1964, sofrendo restauração em 2012. Também há réplicas usadas em demais romarias, além de um nicho onde a imagem era colocada no presbitério, sendo essa usada na Romaria das Crianças e Procissão da Festa. A romaria inicialmente tinha como ponto de partida o Palácio do Governo.

A partir de 1882, a romaria passou a sair da Catedral Metropolitana de Belém. Apenas em 1891, o círio saiu da Igreja Santo Alexandre. Em 1918, o Círio de Nazaré aconteceu no último domingo de outubro em razão da Pandemia da Gripe Espanhola, sendo a primeira alteração na data da romaria desde 1901. Em 1991, o Círio de Nazaré atinge pela primeira vez o número de 1 milhão de pessoas. Em 2005, atingiu a marca dos 2 milhões. As edições de 2000 e 2004 são consideradas as mais longas da história da romaria.

Em 2000, o Círio saiu as 7h30 da Catedral e chegou por volta de 15h45 na Basílica Santuário, tendo como um dos motivos um problema em uma das rodas da berlinda. Em 2004, um problema no atrelamento da corda fez com que o círio se atrasasse, fazendo a romaria terminar por volta das 16h15, superando a marca que pertencia ao Círio 2000. Em 2002, um incêndio na Casa Chama, fez com que a berlinda não seguisse seu trajeto tradicional, sendo desviada pela Avenida João Alfredo e Travessa Frutuoso Guimarães, retornando para a Boulevard Castilhos França, não atrelando a berlinda. A edição desse ano, se encerrou às 11h15, sendo até então o círio mais rápido da história até ser superado pelo Círio 2019. No ano de 2020, pela segunda vez na história da romaria desde 1793, não aconteceu a procissão do Círio devido a Pandemia da Covid-19 com o objetivo de evitar aglomerações, sendo substituído por uma programação especial com a realização de Santa Missa e visitação da imagem peregrina aos hospitais, além da transmissão de documentários, realização de shows e um sobrevoo da imagem peregrina pelos hospitais e ruas de Belém.

Em outras localidades a romaria também foi cancelada. Essa não é a primeira vez que não acontece o Círio em Belém. Em 1835, o Círio de Nazaré também já havia sido cancelado devido ao caos instalado nas ruas por conta da Cabanagem. Em 2021, o traslado para Ananindeua e Marituba volta a ser realizado, mas diferente da versão tradicional, através de um traslado nas grandes vias. A grande procissão, no entanto, não aconteceu pela terceira vez. Hoje um domingo especial para os devotos de Nossa Senhora de Nazaré. Nesta data completamos 35 anos que faço daqui de Belém a cobertura do Círio de Nossa Senhora de Nazaré. Agradeço a Deus o Jornal A Gazeta, o Jornal Verdade e a Rádio Tarumã FM 104,3 que construíram para eu divulgar a maior festa religiosa do planeta. Antes de encerramos a nossa coluna, quero agradecer também todos os patrocinadores que por longo desses anos contribuíram a nossa estada na terra das mangueiras. Feliz Círio de Nazaré. Viva a Padroeira da Amazônia. Bom Domingo de Círio de Nazaré. Tchau.
Relacionadas »
Comentários »