27/11/2021 às 21h22min - Atualizada em 27/11/2021 às 21h22min

SONETO PARA A SOLIDÃO

Itaguaraci Macedo Químico e poeta. Foto: Arquivo/Pessoal.
De fato, a solidão me tem ferido!
Bastante fundo, como se uma mão,
armasse de gesto e intenção,
e me tornasse desde então sofrido!

Abrisse minha boca e o gemido,
agora atravessando o espaço em vão,
não fosse ouvido e, sem direção,
vagasse eternamente emudecido!

Não, certamente assim como quem finda,
morrendo eu, há de durar alguém
e a solidão vai existir ainda!

E assim sendo, existirá o amante,
outro, que esse inspirará desdém,
e comumente quem lhes desencante!
Leia Também »
Comentários »