04/12/2021 às 18h00min - Atualizada em 04/12/2021 às 18h00min

BENEFÍCIOS DOS EXERCÍCIOS MULTICOMPONENTE PARA OS IDOSOS FRÁGEIS/CAIDORES

 
 
Já é corriqueiro afirmar que a população brasileira está envelhecendo de maneira jamais observada. Em alguns países da Europa, esse processo de envelhecimento que demorou mais de 100 anos, no Brasil está alcançando em menos da metade desse tempo. E agora? Quem poderá nos SALVAR?
 
Diante dessa afirmação de dados concretos, dentro da faixa etária da população idosa (60 anos e mais), a população com 80 anos e mais é um grupo que mais cresce. Em outras palavras, além de estarmos nos tornando uma população envelhecida, estamos dentro daquele grupo etário que denominamos de longevos.
 
As consequências desse processo de envelhecimento demasiadamente acelerado estão relacionados aos aumentos dos gastos com serviços de saúde pública, à dificuldade dos programas de previdência para aposentadoria e ao despreparo da sociedade em atender as necessidades específicas dessa população.
 
Além disso, ainda podemos citar o aumento da expectativa de vida, não com o aumento de vida sem doenças. Isso mesmo, estamos envelhecendo, mas carregando por mais tempo doenças e agravos crônicos não transmissíveis e assim, não aumentando a qualidade de vida para esses anos a mais. Bom já fiz o aquecimento do texto agora que vamos iniciar a matéria de acordo com o título proposto.
 
Para os profissionais da saúde, preferencialmente profissionais de Educação Física, trabalhar com idosos foi considerado, pelo terceiro ano seguido, uma das principais tendências fitness mundiais. No entanto apenas 10% desses profissionais preferem desenvolver treinamentos para essa população.
 
Sendo assim existem uma dificuldade de conhecimento e preparo para identificar um idoso com características eugérico mais conhecido como senescência que são aqueles que o processo de envelhecimento verdadeiro (alteração relacionadas com a idade) que não interfere na maneira de viver do idoso. Ainda não tive a oportunidade de treinar esse tipo de cliente.
 
Na verdade, só chegam idosos com característica patogérico, mais   conhecido   como   senilidade: processo de envelhecimento acompanhando por doenças e agravos que interferem na vida do idoso, principalmente levando a dependência para a realização das atividades diária (subir escadas, tomar banho sozinho, ir a feira, convívio social).
 
Por isso que minha agenda que estou construindo em forma de projeto existem clientes com mais de 44 anos que já estão treinando MUSCULAÇÃO como prevenção para evitar a velhice patogérica.
 
1- A prescrição de Exercício para idosos frágeis / caidores.
A prevalência de fragilidade em idosos está relacionada à faixa etária. Entre idosos com 60 a 69 anos, 6,5% são considerado frágeis. Atenção para o salto de 65% entre idosos com 90 anos e mais.
Para esses idosos, o exercício físico exerce um efeito protetor contra quedas. Um estudo realizado com 41.596 pessoas, foi observado que idosos que realizam exercício físico apresentavam 49% menos chances de cair. No entanto, outros fatores como modificações do ambiente em que o idoso vive, modificações na dieta, tratamento para osteoporose e tratamento da visão também foram associados com menor chance de quedas.
 
Embora se fale da importância do treinamento de MUSCULAÇÃO em idosos caidores, os treinamentos aeróbios e multicomponentes são considerados os mais eficazes e eficientes para a redução de quedas. No entanto, algo importante precisa ser destacado:  em idosos caidores o exercício precisa ser realizado em alta velocidade que o idoso consegue fazer, dentro de toda segurança. Por isso que para trabalhar com esse público precisa de um acompanhamento individualizado, Em um estudo realizado com 26 idosos (média 70 anos) divididos em grupo controle e grupo de treinamento e treinando 3x na semana, durante 12 semanas, os idosos foram submetidos ao treinamento multicomponente, que consistia em;
 
10 minutos dançando
10 minutos exercício resistidos com peso corporal
15 minutos de exercícios de agilidadee coordenação
10 minutos de volta a calma (relaxamento) Todos os exercícios eram feitos em alta velocidade de execução possível.

Após 12 semanas de estudo, os idosos do grupo treinamento aumentaram a velocidade de caminhada, a mobilidade e o equilíbrio dinâmico, diminuindo consideravelmente o risco de quedas. (BOHRER et al. 2019) Nós sabemos que os acidentes com quedas é um complicador para a saúde e qualidade de vida do idoso. Mesmo que o período de hospitalização por um Fêmur quebrado pode ocasionar ulcera por repetição e infecções oportunistas hospitalar ocasionando até a morte. Perceberam a importância de manter o idosos ativo.

 
Recomendações de um especialista
Como vimos em alguns estudos citados nos mostram que o idoso frágil não precisa ficar o dia todo acamado ou sentado, muito pelo contrário. Idosos precisam treinar e, de preferência, treinamento de potência, além de melhorar os problemas articulares combatem a perda muscular que é de suma importância para a manutenção dos seus afazeres do dia a dia. Não é meu intensão receitar uma fórmula de treinamento única pois cada idoso possui uma história de vida.
 
O treinamento cardiovascular, o treinamento de equilíbrio e flexibilidade como o treinamento multimodal é uma estratégia na redução de acidentes com quedas. Todas essas informações foram selecionadas da minha vivência em cursos e especializações e do Livro Avaliação e Prescrição Clínica de Exercício Físico para grupos especiais 2021 do Dr Igor Conterato Gomes que tive a honra de participar de vários cursos e mentorias.




 
Convidado da coluna
 
Marco Silva
Especialista em treinamento para idosos, membro da Sociedade Brasileira de Personal Treiner, Especialista em Biomecânica na Musculação e Reabilitação Musculoesquelética, CREF: 000222 - G / A P
Relacionadas »
Comentários »