18/12/2021 às 18h37min - Atualizada em 18/12/2021 às 18h37min

Polimialgia reumática

Dr. Marco Túlio Muniz Franco CRM 994 RQE 204 É reumatologista com especialização no Hospital Gaffrée e Guinle da Universidade Federal do estado do Rio de Janeiro (UniRio) e atualmente Conselheiro Federal suplente pelo Amapá.Foto: Arquivo Pessoal

A polimialgia reumática é uma doença reumática inflamatória, que em geral afeta pessoas com mais de 50 anos de idade. A causa da patologia não é totalmente conhecida. A doença parece ser mais frequente nas pessoas de origem Europeia, no Brasil devido a intensa miscigenação da população esse padrão pode ser variável. 

A polimialgia reumática é mais frequente em mulheres. Os pacientes afetados por esta doença queixam-se de dor intensa nos quadris, ombros, região cervical causando limitações, podendo impedir o paciente de realizar tarefas do seu dia-a-dia. Os pacientes referem a sensação de rigidez, que se caracteriza pela dificuldade de começar a movimentar-se ao acordar, sensação de articulações rígidas e fraqueza. Alguns pacientes relatam a sensação de estar caminhando dentro da água contra a corrente.        

Os pacientes podem queixar-se de dor e inchaço também nas articulações das mãos, punhos, pés e joelhos. É frequente a perda de apetite, perda de peso, cansaço, depressão e febre baixa.

Cerca de 12 a 20% dos doentes com Polimialgia Reumática podem desenvolver outra patologia chamada Arterite de Células Gigantes onde é frequente a perda de visão, dor de cabeça, sensibilidade no couro cabeludo e dor na mandíbula. 

O diagnóstico da polimialgia reumática se dá através das e manifestações clínicas laboratoriais. A dor e rigidez na região dos quadris, cervical, ombros em pacientes geralmente com mais de 50 anos são bastante típicos. Laboratorialmente a velocidade de sedimentação (VHS), Proteína C Reativa (PCR) geralmente estão bem elevadas. 

O tratamento da polimialgia consiste no uso de corticoide em geral dose menor a 20 mg de Prednisona com diminuição lenta e gradual da dose, pode haver piora dos sintomas com redução dose de corticoide. Se não for possível reduzir o corticoide até dose de igual ou menor a 7,5mg, será necessário o uso de Metotrexato. Na maioria das vezes o tratamento dura 24 meses, alguns casos pode ser necessário mais tempo.

Durante o uso de corticoide deve ser estimulado realização de exercício físico.  A Suplementação de cálcio e vitamina D aliada a uma dieta rica em cálcio com ingestão de laticínios como leite, queijo, iogurte e outros alimentos ricos do mineral como a sardinha, os brócolis e chia é necessário para prevenção de fraturas osteoporóticas induzida pelo corticoide. Na polimialgia reumática a avaliação do reumatologista é fundamental, pois o idoso frequentemente apresenta lesões por uso nos ombros com tendinites, bursites e artrose degenerativa nos quadris. Lembre-se que reumatismo é coisa séria, procure um reumatologista.
Leia Também »
Comentários »