26/07/2020 às 07h00min - Atualizada em 26/07/2020 às 07h00min

Pandemia: como fortalecer a barreira da pele e evitar contaminações

Lana Chucre. Foto: Arquivo Pessoal.


Em processos de higienização consecutivas acabamos por remover a parte da camada protetora da pele e, naturalmente, deixamos a pele mais suscetível a infecções.

Em tempos de pandemia a recomendação para se prevenir e ainda conter a disseminação do Coronavírus (Covid-19). É lavar as mãos com água e sabão diversas vezes ao longo do dia e abusar do álcool em gel. Acontece que, em processos de higienização consecutivas acabamos por remover a parte da camada protetora da pele.

A camada protetora é formada por uma matriz lipídica. A epiderme, camada mais externa da pele, é formada por corneócitos e por essa matriz, que na verdade é uma barreira composta por cêramidas, ácidos graxos e colesterol, que impede que microorganismos penetrem na nossa pele e causem danos. Para entender melhor, podemos pensar nessa camada como uma parede de tijolinhos: enquanto as células (os corneócitos) são os tijolos, a matriz lipídica é o cimento que mantem tudo no lugar.

A pele é o maior órgão do nosso organismo e, como reveste o corpo inteiro, confere uma barreira mecânica e imunológica, sem dúvida, contra agentes infecciosos. É muito importante que a gente mantenha a pele integra e saudável evitando ao máximo qualquer tipo de lesão, já que elas podem abrir espaço para que vírus, bactérias e outros agentes infecciosos contaminem o organismo. Embora ainda não existam estudos que comprovem diretamente qualquer tipo de contaminação de Coronavírus diretamente pela pele, quando a barreira cutânea está enfraquecida, a pele fica mais sujeita a infecções e dermatites que podem, por consequência, baixar a nossa imunidade, deixando o organismo mais suscetível a contaminações".

No caso do Coronoavírus, por exemplo, mesmo que a contaminação se dê por vias respiratórias, se a pessoa estiver com algum tipo de dermatite ou com escoriações na pele, ela pode ficar com imunidade baixa e assim se tornar mais suscetível ao contágio. 

Para fortalecer as barreiras de defesa é importante manter uma rotina de cuidados diários que preserve o ecossistema da pele. Muitos produtos cosméticos e de cuidados pessoais, contêm produtos químicos sintéticos agressivos que podem afetar o ecossistema cutâneo, levando a uma mudança no manto ácido natural da pele, na microbiota e nas barreiras de defesa. Veja a seguir como fazer as melhores escolhas e quais hábitos manter para fortalecer a barreira cutânea:

Atenção na hora do banho
Tudo o que resseca a nossa pele pode desestruturar a barreira protetora, por isso o banho ideal é morno, rápido e com pouco sabonete. Também escolher os produtos adequados.

Reforce a hidratação!
Primeiro beba muita água. Segundo, mesmo que dê preguiça de passar hidratante após o banho é importante manter o hábito.
Por fim, abuse do protetor solar. "Ele é usado para fortalecer a barreira inibindo a ação dos radicais livres causados pelas radiações do sol e da luz visível proveniente de dispositivos eletrônicos, como celulares e computadores.



Lana Chucre
Formada em sistema da informação 
Relacionadas »
Comentários »