02/08/2020 às 03h08min - Atualizada em 02/08/2020 às 03h08min

PSICÓLOGO NA ESCOLA

Dra Denise Morelli Foto:Arquivo/Pessoal
 
 
Quando se pensa no psicólogo escolar, que tipo de serviço vem a sua cabeça? 
 
Certamente se pensa em testes psicológicos, diagnósticos de doenças mentais e atendimento dos alunos com dificuldades de comportamento e/ou aprendizagem. 
 
Historicamente, o principal papel do psicólogo escolar era, de fato, trabalhar com testes psicológicos afim de diagnosticar possíveis doenças ou distúrbios mentais em alunos, antigamente chamados de “alunos-problema”. 
 
A função do psicólogo escolar era, de certa forma, “isolar” o aluno que atrapalhava o bom andamento da turma, para assim trabalhar as suas dificuldades de forma individual e longe de sua turma. 
 
Com o passar do tempo, devido a própria evolução da psicologia como uma ciência humana, o papel do psicólogo escolar tornou-se mais amplo. 
 
O psicólogo escolar deixou de buscar diagnósticos para procurar entender todo o contexto que o aluno vivencia. Hoje é preciso acolher a escola em todos os seus movimentos, sejam eles educacionais, de gestão ou relacional. 
 
Na ausência do psicólogo, o coordenador pedagógico acaba acumulando atribuições desse profissional. As funções do profissional de pedagogia são encampar a proposta pedagógica da escola, orientar professores com relação a cronogramas e planos de aula, e alunos quanto aos estudos, entre outras.
 
Já ao psicólogo, cabe lidar com situações de bullying, aconselhamento familiar ou até mesmo detectar a necessidade e fazer o encaminhamento do aluno para um atendimento mais especializado. Sua ação também pode ser preventiva. O psicólogo pode ajudar os educadores a lidar com temas complexos, como inclusão, diversidade, sexualidade, drogas e violência.
 
Um dos papéis do psicólogo na escola é mostrar aos professores sua importância na constituição da personalidade dos alunos. O professor deve ter consciência da subjetividade e da individualidade desses estudantes. O psicólogo pode auxiliá-lo nisso, de maneira que a escola se torne um ambiente acolhedor para os alunos, independentemente de características, necessidades e ritmos de aprendizagem diferentes.
 
A legislação atual deixa as unidades de ensino desarticuladas e desamparadas do apoio psicológico e assistencial. A articulação prevista no projeto de lei poderia trazer mais suporte para os educadores. Hoje, o professor identifica que o aluno está com algum problema, que está sofrendo maus tratos em casa ou que está se automutilando. Mas não consegue ajuda psicológica ou atendimento rápido.
 
Com a organização que temos hoje, o professor fica desamparado. Está sozinho e seus alunos também. Porque mesmo que identifique a situação de vulnerabilidade, nem sempre eles conseguem a ajuda necessária.
 
O psicólogo escolar possui um leque enorme de possibilidades de atuação dentro de uma instituição de ensino, desde pensar sobre o espaço até intervir nas demandas pedagógicas. 
 
Há muitos benefícios em se ter um psicólogo atuando na escola! (Vamos deixar para um próximo texto). O que se pretende refletir neste texto é justamente a ampliação da função do psicólogo escolar. 
 
Aqui listamos 5 que consideramos ser as principais:
 
1. Avaliar a instituição: Procurar conhecer todo o espaço físico que é oferecido aos alunos, professores e demais funcionários. Familiarizar-se com a dinâmica interna da equipe, as regras de convivência e os processos administrativos.
 
2. Acolher os professores: Procurar estabelecer um vínculo com os professores afim de acolher suas dificuldades e enfatizar suas facilidades, bem como receber suas dúvidas e oferecer as devidas orientações.
 
3. Acompanhar o aluno: Procurar mostrar-se disponível ao aluno, tanto dentro como fora da sala de aula, para ouvir e compreender o seu comportamento e suas motivações.
 
4. Atender os pais: Procurar estreitar a relação família-escola afim de enfatizar a importância da participação dos pais na vida escolar do filho, e também procurar acolher, de forma grupal, as frustrações e dificuldades de manejo educativo.
 
5. Analisar as demandas pedagógicas: Procurar estudar e conhecer os métodos pedagógicos adotados pelos professores (projetos, apostilas etc) e avaliar como a turma recebe os mesmos. Ter conhecimento do Projeto Político Pedagógico da escola é essencial!! 
O psicólogo escolar hoje, além de direcionar o seu olhar para o aluno, pode também incluir os pais, os professores e os demais profissionais. Isso porque a escola também passou por grandes transformações, e hoje, não se pensa mais como um depósito de crianças, mas sim, um espaço de acolhimento, de cuidado e orientação.


Denise Morelli 
Psicóloga Jurídica na POLITEC, Coordenadora Nacional da Especialização em Criminologia e em Psicologia Jurídica e Inteligência Forense do INFOR, Professora de diversas Universidades em cursos de graduação em Direito e Psicologia, Especializações e Mestrados, Palestrante Nacional e Internacional, Tutora da Secretaria Nacional de Segurança Pública - SENASP.

 
Relacionadas »
Comentários »