21/05/2022 às 16h39min - Atualizada em 21/05/2022 às 16h39min

​REFLEXÃO DE BOA VONTADE

Coração de mãe não foge da Dor do Filho

​José de Paiva Netto

​José de Paiva Netto

​José de Paiva Netto, escritor, jornalista, radialista, compositor e poeta. É diretor-presidente da Legião da Boa Vontade (LBV).

José de Paiva Netto. Foto: Arquivo Pessoal
Nunca faltarão palavras para homenagear Maria Santíssima, Mãe de Jesus, Mãe Universal da Cristandade, Mãe Cósmica da Humanidade, por toda a abnegação de seu Espírito, desde o anúncio celestial feito pelo Anjo Gabriel, quando a serva de Deus soube que seu ventre seria abrigo de luz para o Salvador dos Povos (Evangelho, segundo Lucas, 1:26 a 38). Por acreditar tanto em Seu Poder e Sua Autoridade, ela O incentivou a realizar o primeiro milagre, nas bodas de Caná (Boa Nova, consoante João, 2:1 a 11). Viu os feitos divinais do Mestre Jesus crescerem, e, boa mãe que era, orgulhosa das maravilhas que testemunhava, 
— guardava todas estas coisas no seu coração.
Jesus (Lucas, 2:51) 

E, no momento crucial do Sublime Ministério Crístico, corajosamente suportou, ao lado de seu Amado Filho, o indescritível martírio que Ele sofreu.

A Coragem Feminina
Mulher! Sinônimo de fortaleza, destemor e compaixão... Certamente por isso Jesus contou com o extraordinário apoio de incontáveis heroínas, a exemplo de Maria, chamada Madalena, Joana de Cusa, Suzana, Marta e Maria, irmãs de Lázaro — a quem o Sublime Amigo ressuscitou —, além de tantas outras que o Evangelho não registra, mas o Espírito de Deus imortaliza. No momento da crucificação, todas corajosamente acompanhavam Maria Santíssima, enquanto os homens, exceto João Evangelista, assustados, se escondiam. Depois, vieram a redimir-se. Aliás, na hora trágica no Gólgota, elas é que permaneceram ao lado do Divino Ressuscitado: 
— E diante da cruz estavam a Mãe de Jesus, a irmã dela e também Maria Madalena, e Maria, mulher de Clopas.
Jesus (João, 19:25)

Assim sendo, na Volta Triunfal do Taumaturgo Celeste ao planeta Terra — conforme está anunciado no Seu Santo Evangelho e no Seu Apocalipse Redentor, já que Ele vem dar “a cada um de acordo com as suas obras” (Boa Nova, consoante Mateus, 16:27 e Apocalipse, 22:12) —, aquelas mulheres terão a glória de estar à frente da equipe de recepção. Elas e todos os que são capazes, pela força do Amor Fraterno, de transpor os perigos e não desonrar o seu Mestre, pois assegurou Jesus: 
— Todo aquele que me testemunhar diante dos homens, Eu o testemunharei diante do Pai, que está nos Céus; mas aquele que me negar perante os homens, também Eu o negarei diante do Pai, que está nos Céus. 
Jesus (Mateus, 10:32 e 33)

Gosto muito deste significativo provérbio judaico sobre as mães: 
— Deus, não podendo estar em todos os lugares, fez as mães.

Jesus e as Mães
Para finalizar, dedico aos que me honram com sua leitura a prece Jesus e as Mães, que fiz em homenagem às que habitam o Céu e a Terra:

Ó Jesus!
Tu, que és o Refúgio Seguro dos aflitos,
Escuta a voz das Mães
Que ao Teu Carinho elevam
O clamor de suas súplicas.

Aplaca, Senhor, as suas dores,
Pois cada uma delas,
Ó Divino Amigo,
Reconhece em Teu Coração
O seu bom destino;
Na Tua Santa Vontade, a força
Que não lhes permite sucumbir;
E na Tua Sabedoria contemplam,
As Mães da Terra e do Céu,
A educação que anseiam para os filhos.
Em Ti, Jesus, elas, quando sofrem,
Têm a certeza do alento,
Que, em geral, o mundo não lhes pode oferecer,
Porque ainda pouco tem para lhes dar.

Ouve, Filho Celeste de Maria Santíssima,
O apelo dos corações maternos,
Porque Tu, Jesus, és a Esperança que nunca morre.
Melhor que isso: a Convicção que não as deixa esmorecer.

E que assim, em Ti,
Eternamente seja,
Ó Divino Provedor de nossas vidas!
Amém!

Ampare, ó Mãe Adorada, os povos da Terra, guiando-os na direção da Paz de Deus!
Leia Também »
Comentários »