09/08/2020 às 01h36min - Atualizada em 09/08/2020 às 01h36min

ALGUMA MADRUGADA

Itaguaraci Macedo. Foto: Arquivo Pessoal.

Agora é madrugada estranha e fria...
Voa a coruja, como quem procura
curar a insônia, como que a cura
fosse voar até raiar o dia!

Um galo canta, mocho silencia,
rato fornica nessa noite escura,
morcego plana o tempo que dura,
achar no chão sangue e moradia!

Enquanto isso, em algum abrigo,
o homem jaz como em seu jazigo,
alheio a essa vida paralela!

Até que o dia aponte na janela,
protagonistas, coadjuvantes,
uns vão dormir...outros, irão bem antes...



Itaguaraci Macedo
 Químico e poeta
Leia Também »
Comentários »