09/08/2020 às 02h41min - Atualizada em 09/08/2020 às 02h41min

ARTISTAS NO CINETEATRO TERRITORIAL

Romualdo Palhano. Foto:Reprodução/Facebook/Pagina Pessoal.


No que diz respeito à cultura propriamente dita, e mais principalmente em relação à arte teatral, um dos momentos mais significativos para a cultura amapaense foi sem dúvida a inauguração do Cine Teatro Territorial, pelo primeiro governo do Território Sr. Janary Gentil Nunes. Todavia, pressupõe-se que a inauguração deste teatro na década de 1940, não teve como objetivo principal, suprir a necessidade de um espaço para grupos local, até porque realmente não havia tão grande movimento teatral naquele período no Amapá, mas sim, para suprir a necessidade da nova elite que estava se instalando nas terras tucujus.  Neste caso, tornou-se um point da sociedade da época.

Essa política cultural do governo do Território Federal do Amapá, fez com que artistas do eixo Rio/São Paulo, como também de outras partes do Brasil, aqui aportassem para apresentar seus trabalhos. Estiveram no Cine Teatro Territorial; artistas como: Bibi Ferreira (teatro), Procópio Ferreira (teatro), Fernanda Montenegro (teatro), Luiz Gonzaga (música); Rodolfo Mayer com “As Mãos de Eurídice” (teatro); Concita Mascarenhas (teatro de revista); Marlene, (a rainha do baião); Trio Iraquitam; Dalva de Oliveira (1949 - música); Herivelto Martins (1949 - música); Walfrido Silva (1949 – música); Amália Paiva (1949 – música); Companhia Nacional de Comédias Barreto Júnior (1948 - teatro); Companhia de Comédia Marquize Branca (1948 - teatro); Carmem Costa (1949 - sambista – música); Maria Otávia (1950 – pianista); Paulo Burgos (1950 – pianista); Coracy Fischer (1950 – cantora); Risoleta Porto (1951 - canto e piano); Guilhermina Cerveira (1951 – canto e piano);  Altino (1951 – pianista); Rogaciano Leite (1949 – récita); Pastorinhas “Filhas de Israel” (1950 – teatro), entre outras atividades do gênero. O saudoso Professor Guilherme Jarbas, em entrevista de 01 de junho de 2011, a este colunista, falou que quando era jovem presenciou alguns desses momentos: Lembro bem que na minha juventude, aqui vieram grandes nomes do teatro, me recordo bem, como: Fernanda Montenegro. O governo do ex-território, na época de Janary trazia as figuras mais expoentes de vários segmentos da cultura, ao Amapá. Por exemplo: Marlene, a rainha do baião; a Dalva de Oliveira, ou seja, essas pessoas vieram a Macapá trazidas exatamente pelo governador da época, Janary Nunes. Naquele período eu tinha entre meus quinze e dezesseis anos.

Não só artistas conhecidos no Brasil. Todavia, vários artistas locais e inclusive de outros países chegaram a se apresentar no Cine Teatro Territorial. Vejamos a seguir os artistas da região: Valdemar Henrique (1951 – música); Teatro do Estudante do Amapá, com os espetáculos “Joaninha Buscapé” - 1948); “O Amor que não Morreu” e “Feitiço” – 1952; Trupe Cantuária – 1945; Companhia Teatral Guajarina – 1946; Rosalvo Guigni – 1952 -  tenor amazonense;  Maria Anísia Campos – 1952 – recital e piano; Trupe do Coroné Ludugero, e Grupo de Teatro Guararape com  peça “Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo – 1952.  Entre os artistas de outros países, temos: Trio Chileno (1948 – música); Maria da Graça (1952 – cantora portuguesa); e Rulito y Sus Estrelas (1953 – tango e bolero).


Romualdo Palhano 
Professor Titular da Universidade Federal do Amapá, pós-doutor em teatro pela Universidade Federal da Paraíba – UFPB, doutor em teatro pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.
 
Leia Também »
Comentários »