16/08/2020 às 00h30min - Atualizada em 16/08/2020 às 00h30min

HIGIENE BUCAL - Cuidados que podem prevenir complicações da COVID-19

Rivaldo Bueno

A boa higienização da boca pode evitar, principalmente, problemas pulmonares que tornam o vírus ainda mais perigoso. No caso de pacientes contaminados com o novo Coronavírus (Covid-19), a higiene bucal pode prevenir complicações à saúde. Além disso, diversos estudos já comprovaram a eficácia do cuidado com a saúde bucal na prevenção de doenças cardíacas, depressão e doenças crônicas não transmissíveis como diabetes, hipertensão arterial, câncer, entre outras doenças sistêmicas.

Associado à higiene da boca é preciso manter as mãos sempre higienizadas, utilizando os protocolos corretos, pois a saúde está integrada como um todo. Como as mãos são imprescindíveis no acesso à cavidade bucal, como no uso do fio dental, do higienizador de língua e da escova de dente, é importante que estejam bem higienizadas com frequência, para que se possa levá-las até a cavidade bucal.

Estado de saúde do paciente que tenha contraído a Covid-19 pode ser agravado, caso sua higiene bucal não seja feita da maneira correta, com atenção especial para a língua e aos dentes molares, aqueles mais próximos da faringe, para evitar a pneumonia por aspiração. Portanto, para prevenir quem está com a Covid-19, e mesmo quem não esteja acometido pelo vírus, de agravos de infecções pulmonares e cardíacas, é imprescindível a higienização bucal correta.

Vale ressaltar, também, para troca periódica da escova dental, devendo ocorrer a substituição sempre que o indivíduo estiver se recuperando de alguma infecção. A medida é para evitar risco de recontaminação, além da importância do uso de fio dental e enxaguante bucal. Esses hábitos de higiene bucal devem ser adquiridos por toda vida, não somente no período do novo Coronavírus, visto que as pessoas podem ser infectadas por outro vírus a qualquer tempo. Nesse contexto, também é fundamental cuidar da higienização das escovas de dente e dos higienizadores de língua, mantendo-os imersos em solução desinfetante, à base de água ou enxaguante bucal, para evitar a reinfecção após cada uso.  



Rivaldo Bueno
Especialista em ortodontia e disfunção ATM, diretor científico da escola de pós-graduação Faisa, administrador da clínica Ortho-X Macapá
Tags »
Leia Também »
Comentários »