16/08/2020 às 00h38min - Atualizada em 16/08/2020 às 00h38min

99 Casas

Vivian Soares. Foto:Arquivo Pessoal.

Já se sentiu moralmente encurralado, como se não tivesse firmeza ou propriedade o suficiente para julgar as atitudes de alguém, por mais que elas sejam as mais cruéis possíveis? ‘’99 Casas’’ guia o espectador através de um sofrimento tão palpável que qualquer julgamento que se possa fazer acerca do protagonista parece quimérica demais.

Nele, um pai solteiro desempregado chamado Dennis Nash (Andrew Garfield) se desespera ao perder a casa de sua família para o banco por conta da hipoteca. Richard Carver (Michael Shannon), um poderoso e imoral agente imobiliário obtém seu lucro através da execução de ordens de despejo. Desesperado para ter sua casa de volta e conseguir sustentar seu filho e sua mãe, Dennis aceita trabalhar para Richard, o homem que o despejou. Mas ao fazer isso, ele se lança em um caminho de corrupção e ganância, e acaba sentindo na consciência todo o peso por seus atos.

Com as atuações vibrantes e perfeitamente dinâmicas de Andrew e Shannon, o filme se desenrola em uma rede de tensão e sentimentos confusos, isso porque o que impulsiona Dennis a cometer tantas atrocidades é justamente o amor por seu filho pequeno. Pelos olhos do diretor Ramin Bahrani, a narrativa assume um caráter levemente documental, sendo que o drama de famílias que perderam suas casas durante a crise estadunidense de 2008 é retratado da forma mais realista possível.

É um filme necessário, que leva a refletir sobre o quanto momentos de crise podem modificar uma pessoa e torná-la pior, os limites entre a ambição e a ganância, e acima de tudo, até que ponto se pode tolerar que atitudes imorais sejam cometidas por amor.




Special Correspondents
 
Uma comédia ácida e polêmica sobre os efeitos das fake news e quão séria é a questão do jornalismo antiético, parcial e sensacionalista. Apesar das tiradas cômicas serem um ponto forte, esse filme mostra ter mais a oferecer do que só humor. 

Tudo começa quando um radiojornalista prepotente e anético chamado Frank Boneville (Eric Bana) e seu técnico de som, Albert Finch (Rick Gervais, que atuou, dirigiu e escreveu o filme) são designados para cobrir uma guerra no Equador. Porém, por conta de um deslize, ambos não conseguiram embarcar. A fim de enganar o chefe e garantir uma boa audiência, eles fingem ter chegado à capital Quito, e para não precisarem ir até a embaixada estadunidense no país, eles forjam o próprio sequestro.

Mostrando exatamente quão catastróficas as fake news podem se tornar, juntamente com um roteiro muito engraçado e satírico. ‘’Special Correspondents’’ é um filme bom, casual e descompromissado, que apesar de se apoiar em uma premissa simples consegue se sobressair pela mensagem e pelas risadas que rende





Vivian Soares
Estudante e crítica de cinema 
Tags »
Leia Também »
Comentários »