10/10/2020 às 18h27min - Atualizada em 10/10/2020 às 18h27min

SOBRE O QUE JÁ VIVI

Edinho Duarte. Foto:Arquivo Pessoal.
Vamos fazer uma reflexão! Pare e pense comigo - Das centenas ou milhares de pessoas com quem você tiver que lidar nesta vida, pode ser que a maioria não o trate com o mesmo respeito e consideração que você demonstra ter por elas. Isso é da natureza humana! 

Não é incomum que se dê o bem e, em troca, se receba o mal, na forma de ofensas, maledicências, armadilhas e até ingratidão.
Veja o exemplo de Jesus: ele foi traído, desprezado por boa parte das pessoas com quem lidou e até das que ajudou, mas isso não o impediu que cumprisse sua missão. Ele ignorou a ingratidão e seguiu em frente, alcançando êxitos. Portanto, é assim que nós também devemos proceder. 

Do grande número de pessoas que ajudamos e com quem somos corretos, conseguiremos, pouco a pouco, construir uma legião de pessoas gratas, dignas e que estarão ao nosso lado. Mas, isso demanda tempo e vale ouro na vida pessoal e profissional.

O apóstolo Paulo também nos deixou uma lição que está em Filipenses 2-3: “Nada façais por contenda ou vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo”. Isso não quer dizer que iremos abrir mão da nossa autoridade ou dignidade, mas que não devemos fomentar conflitos ou agir com soberba.

Quando ocupamos uma posição de superioridade hierárquica, não é necessário nem recomendável exercer o nosso poder com truculência ou grosseria. Todo mundo valoriza quem busca a solução dos conflitos e, por outro lado vê com restrições aqueles que, em vez de fazer acordos, fomentam mais problemas. Na briga, todos perdem!

Quando somos reconhecidos por nossas virtudes, há um efeito colateral. Passamos a ser alvo dos maus e dos invejosos, que tentarão desconstruir a boa imagem que formamos. Nessas horas é preciso ter paciência, não aceitar, nem retribuir provocações; e deixar o tempo agir. A verdade sempre vence! 

Se estão invejando você, isso é sinal de sucesso. Um sinal incômodo, mas, ainda assim, um sinal que conta a seu favor e não contra. Portanto faça o bem, continue fazendo o bem, busque os acordos e a paz. Se afaste das contendas, porque como costumo dizer: “bom de briga é quem cai fora”!

Muitos se aproximarão de você para tentar se aproveitar do seu bom caráter, mas outros estarão à procura de parceria com o seu bom nome, que será respeitado. Alguns poucos, mas fiéis, sairão em sua defesa até as últimas consequências. Não se preocupe! Você não precisará de tantos amigos fiéis na hora da dificuldade. Apenas alguns serão o suficiente! 

E não se esqueça de que não é nos momentos de festa, mas nos de angústia, que você descobre com quem realmente pode contar.
Lembre-se do que está em provérbios 17-17: “em todo tempo ama o inimigo; e na angústia se faz o irmão" . Até as horas difíceis são boas sobre um aspecto, pois nelas é que vemos quem realmente é nosso amigo. E você percebe que está amadurecendo, quando alguém te machuca e você tenta entender a situação; e decidi não revidar.



Edinho Duarte 
Jornalista, Pedagogo e ex-deputado estadual.
Tags »
Relacionadas »
Comentários »