01/11/2020 às 01h48min - Atualizada em 01/11/2020 às 01h48min

Os desafios dos Ortodontistas em tempo de pandemia

Rivaldo Bueno Especialista em ortodontia e disfunção ATM, diretor científico da escola de pós-graduação Faisa, administrador da clínica Ortho-X Macapá. Foto: Arquivo Pessoal.

Diante da situação atual por conta da Covid 19, vários questionamentos ocorrem em nosso dia a dia, como vamos nos adequar à essa nova realidade? Como vai ser daqui para frente? Acredito que nossas relações pessoais e profissionais nunca mais serão as mesmas.

Todos os profissionais da área da saúde e em especial os cirurgiões dentistas sempre foram os mais expostos pela proximidade com os pacientes e sempre se protegeram, agora teremos que aumentar e muito esta proteção para nós e para nossos pacientes. O ortodontista em especial terá que investir no atendimento individualizado e mais humanitário em relação aos seus pacientes, com total biossegurança e menos consultas se possível. A relação ortodontista e paciente deve ser reinventada com mais confiança e diálogo.

A tecnologia está aí para nos ajudar com uma infinidade de informações na mídia, lives, cursos online e eventos totalmente digitais e a Ortodontia foi nesse embalo, com tratamentos e materiais de última geração, totalmente tecnológicos onde o paciente tem menos retornos ao consultório e tempo de tratamento bem reduzidos. 

Acredito que nada disso será possível sem o “principal” para um ótimo tratamento ortodôntico independente da técnica preconizada, o diagnóstico de excelência. Realmente saber o que fazer para harmonizar a relação entre tecidos moles, dentes, ossos e funções musculares, associados à estética facial agradável e como realizar tudo isso é o segredo e não há tecnologia que nos ensine isso, a não ser estudar, estudar e estudar um pouco mais e estarmos abertos a novos conhecimentos a cada novo dia.

Se tivermos conhecimentos específicos em nossa área como análise morfológica, facial e cefalométrica dos nossos pacientes, teremos condições de indicar o melhor tratamento possível, seja ele com aparelhos autoligados estéticos ou metálicos, ortopedia funcional, ortodontia lingual ou alinhadores. E assim vamos alcançar o objetivo do tratamento de excelência com estética e função ideais na finalização de nossos casos clínicos.

E a tecnologia? Ah! Vai ajudar muito para alcançarmos nossos objetivos, mas insisto que o foco é o diagnóstico. Não há tecnologia que resolva uma má oclusão com diagnóstico inadequado. Temos sim que nos atualizar e buscar novos conhecimentos sempre e para alcançarmos essa excelência, só com muito estudo e dedicação.

Acredito que este é o momento de agregar o que de melhor temos dos avanços digitais e do físico (presencial), onde é necessário ainda muitos estudos de artigos, a troca de experiências entre colegas e a vivência clínica, unindo o universo digital ao mundo real.
Fica a dica, procure sempre um profissional capacitado e com especialização em Ortodontia para realizar seu tratamento, assim, você terá uma oclusão funcional e adequada e o sorriso que sempre sonhou.




Convidada
Dra. Maria Eugênia Pincke Coutinho, Especialização, Mestrado e Doutorado em Ortodontia, Coordenadora Curso de Especialização e Aperfeiçoamento em Ortodontia da Associação dos Cirurgiões Dentistas de Campinas –São Paulo, Coordenadora e profa. Curso Especialização em Ortodontia Faísa – Belém do Pará, Professora do Curso de Especialização em Ortodontia Faisa - Macapá

 
Tags »
Relacionadas »
Comentários »