01/11/2020 às 14h20min - Atualizada em 01/11/2020 às 14h20min

Panela do Povo

Jara Dias. Foto:Arquivo Pessoal.
1. Dia Nacional do Livro
A charge do Ronaldo Rony celebrando a passagem do Dia Nacional do Livro - 29 de outubro.
 
2. Canção do Amapá no Festival da Música de Fortaleza
A Prefeitura Municipal de Fortaleza divulgou a relação das 30 canções que vão compor o Festival da Música de Fortaleza-2020. E o Amapá vai ter representação no festival. Ademir Pedrosa e Cássio Pontes classificaram Valsa de Maciço na competição, cuja letra homenageia o Maciço de Baturité, região serrana do Ceará, famosa pela abundância de suas flores. A cantora santanense Ariel Moura será a intérprete da canção. O Festival da Música de Fortaleza vai acontecer em dezembro, a primeira e segunda eliminatória nos dias 04 e 05, respectivamente, e a grande final no dia 12. A canção que vencer o festival volta a ser apresentada na festa de Réveillon de Fortaleza. O prêmio para o primeiro lugar será de R$ 30 mil, o segundo R$ 10 mil e o terceiro de R$ 5 mil. "Estamos no páreo e representando a canção popular do Amapá em mais um festival do Brasil", comemora o compositor da melodia, Cássio Pontes.
 
3. A despedida de Pepe Mujica do Senado Federal do Uruguai
"No meu jardim, há décadas não cultivo o ódio. Aprendi uma dura lição que a vida me impôs. O ódio acaba deixando as pessoas estúpidas. Passei por tudo nessa vida, fiquei seis meses atado por um arame, com as mãos nas costas, fiquei dois anos sem ser levado para tomar banho e tive que me banhar com um copo. Já passei por tudo, mas não tenho ódio de ninguém e quero dizer aos jovens que triunfar na vida não é ganhar, mas sim se levantar toda vez que cair”. Pepe Mujica, ao renunciar o mandato de senador do Uruguai para cuidar de sua saúde #mujica
 
4. A paz de Henri Salvador em Dans Mon Île  
O inesquecível cantor e compositor francês Henri Salvador é até hoje, ao lado de Edith Piaf, o maior nome da música popular francesa de todos os tempos. Ele nasceu na Guiana Francesa. Diziam que Tom Jobim fizera a bossa nova depois de ouvir Dans Mon Île, a obra-prima de Henri Salvador, no filme italiano Europe di Notte. Henri amava a música brasileira – como amamos a cultura francesa –, mas jamais concordou com essa história contada pelo músico Sérgio Mendes. Ele dizia que se sentia muito honrado com a história, “mas é claro que não sou eu o responsável pela bossa nova, e sim o Tom Jobim”. Na década de 1940, Henri veio morar na Bahia de São Salvador e de João Gilberto. Dans Mon Île foi gravada por Caetano Veloso no disco “Outras Palavras” (1981) e ficou muito conhecida no Brasil. Caetano também reverencia o saudoso famoso crooner numa composição sua, Reconvexo, com o verso “Quem não sentiu o suingue de Henri Salvador”.  A brutalidade do atentado terrorista que a França sofreu em 13 de novembro de 2015 e os atentados das duas últimas semanas, abalam mais uma vez a paz no mundo. Diante dos acontecimentos brutais e insanos, ficamos pensando como pode seres humanos cometerem tamanha atrocidade contra outros seres humanos e ainda usando o nome de Alá (Deus)! Só a música e a poesia, que são mesmo de inspiração dos céus, para aliviar tanta dor e tormenta nessas horas. A letra e cifra de Dans Mon Île – mais a tradução em português – publicadas na edição N° 2 da revista Vanguarda Cultural é a nossa declaração de amor à vida. “Porque minha ilha é o paraíso”, diz Henri Salvador na grandiosa e doce canção. A paz de Dans Mon Île entre os homens por um mundo melhor!
 
5. Dia Nacional da Cultura
O próximo dia 5 de novembro - quinta-feira - é o Dia Nacional da Cultura. A data celebra o Águia de Haia Ruy Barbosa - um brasileiro de grande notoriedade pela vastidão de seus conhecimentos adquiridos e pela abundância de sua cultura. É possível que em Macapá a data sequer seja lembrada, nem pelo governo e muito menos pela prefeitura. "Ora cultura, isso não dá voto", dizem alguns candidatos a prefeito. Cultura dá voto sim e é a manifestação maior, mais expressiva dos povos. Não há povo sem cultura, sem identidade cultural e vice-versa. Na imagem a cultura Maracá-Cunani - urnas mortuárias - de nossos ancestrais. A chamada AMAPALIDADE - identidade cultural da nossa gente.
Viva o Dia Nacional da Cultura!
 
6. A arte de Vinicius de Moraes na vida de Barack Obama
Vinicius de Moraes nasceu no Rio de Janeiro. Poeta e compositor popular e o principal letrista da bossa nova, movimento musical surgido no Brasil, em 1958, com a canção “Chega de Saudade” (Tom Jobim / Vinicius de Moraes), gravada por João Gilberto com a sua batida inconfundível e tão cheia de bossa no violão que revolucionou a Música Popular Brasileira e a tornou, a partir daí, mundialmente conhecida.
 
Vinicius é o autor de Orfeu da Conceição, drama musical inspirado no mito de Orfeu, escrito em 1957 e, ao mesmo tempo, convertido em projeto de cinema em 1959 com o nome de Orfeu Negro, dirigido pelo cineasta francês Marcel Camus – uma produção franco-brasileira-italiana vencedora da Palma de Ouro no Festival de Cannes e do Oscar americano como melhor filme estrangeiro (1960). 
 
As canções inovadoras da bossa nova, compostas em parceria com o músico, também carioca, Tom Jobim, que fazem a trilha sonora do filme, ganharam o mundo e até o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em sua autobiografia precoce, cuja tradução brasileira tem o título de “A origem dos meus sonhos”, fala do filme na construção de sua personalidade, ao assisti-lo ainda adolescente, levado ao cinema pela mãe ao visitá-lo em Nova York junto com a sua meia irmã indonésia. Orfeu Negro foi o primeiro filme estrangeiro que ela viu na vida, “aos dezesseis anos” que lhe saltou os olhos, tocando apaixonadamente o seu coração, como está na autobiografia precoce do filho. No livro “Vinicius de Moraes – um poeta dentro da vida”, organizado pela filha Suzana Moraes, tem esse texto sobre as memórias de Obama, escrito pelo músico e pesquisador José Miguel Wisnik:
 
"Quando passou quatorze anos gestando Orfeu da Conceição, Vinicius de Moraes não sabia certamente que estava gerando duas consequências maiores: a bossa nova e o primeiro presidente norte-americano mulato."

 
Jara Dias-Panela do Povo
Panela do rico, panela do pobre, panela do negro, panela do nobre, panela do Pedro, panela da Maria, panela cheia, panela vazia
Tags »
Relacionadas »
Comentários »