15/11/2020 às 00h07min - Atualizada em 15/11/2020 às 00h07min

Classe política falida faz de Macapá única Capital sem eleições.

Foto: Arquivo Pessoal
 
O Brasil inteiro assiste perplexo o drama que o Estado do Amapá está vivendo. Não bastasse uma das piores conduções políticas da pandemia do COVID-19 denunciada por vários órgãos de imprensa em cadeia (inter)nacional de televisão, com destaque para o repórter Roberto Cabrini, agora, há quase duas semanas, a situação se extrema com a crise energética fruto da explosão de transformadores que davam sustentação elétrica para a Capital e todos os demais municípios do Estado, escapando apenas três – Oiapoque, Laranjal do Jari e Vitória do Jari – por terem geradores locais próprios e independentes.
  A população do Estado do Amapá ficou às escuras por diversas noites e, agora, está vivendo em regime forçado de racionamento e revezamento de energia nas cidades e nos bairros. O povo está desgraçadamente sofrendo, não somente a falta de energia, mas de água, de internet, a perda de alimentos nos lares, sujeição ao calor, aos ataques de pernilongos, comprometimento nos tratamentos de enfermidades que dependem de aparelhos elétricos, de refrigeração, como insulinas etc. Os prejuízos dos comerciantes a cada dia se tornam gigantescos. Os postos de combustíveis ficaram sem poder abastecer os veículos, os profissionais liberais, os empreendedores em geral, nem se fala. Enfim, tudo, na esfera pública e privada, ficou em crise. A lista é longa.
  Diante deste quadro tenebroso, a sociedade amapaense descobriu que possui uma das piores classes políticas da República. Diante do caos que se instalou no Estado todo, todos os líderes locais, sem exceção, começaram a jogar a culpa um no colo do outro e, também, tentar tirar alguma vantagem política para si. Eles estão “dançando o samba do criolo doido”. Ainda hoje, dez dias depois do início da crise do apagão, a confusão política continua. O Amapá está uma verdadeira “Casa da mãe joana”. Em nossa opinião, a impressão que dá é que o Amapá está afundando e os políticos estão correndo de um lado para o outro, gritando, sem conseguir efetivar nenhuma ação concreta de socorro. Incompetência generalizada!
  Para piorar, alguns políticos, ao invés de manter a classe e o diálogo, estão começando a gritar, isso mesmo que você leu, gritar nos meios de comunicação, cobrando uns dos outros soluções mágicas do problema quando, na verdade, falharam, pois, não estavam fiscalizando o que deveriam fiscalizar, pode dever de ofício.
  Enquanto a classe política eleita e em pleno exercício do poder não consegue resolver nada, o Presidente da República, constrangido, está agindo para estabilizar a situação caótica em que se encontra o Estado. Também, revestido de sensatez, o Presidente do TSE – Tribunal Superior Eleitoral, de forma inusitada, suspendeu as eleições municipais pelo menos em Macapá Capital, onde está o maior número de habitantes submetidos à tragédia local acima descrita. Um absurdo. Macapá será a única Capital com eleições adiadas.
  Olhando sinoticamente o panorama atual do Estado do Amapá, o Brasil inteiro, que também tem diversos problemas em todas as outras unidades da Federação, vê que a situação amapaense é a pior de todas. Jornalistas, autoridades em geral e lideranças diversas do país estão chocados com a precariedade política deste ente da República brasileira que, diga-se, fruto do voto da democracia vigente.
  Na opinião corrente, não dá para compreender o que estão fazendo as autoridades executivas, legislativas, judiciárias e as funções essenciais à Justiça no âmbito do referido Estado, pois, desde que foi criado como unidade federativa pela Constituição Federal de 1988, o Estado do Amapá não consegue se desenvolver em nenhum aspecto, sendo atualmente um dos estados mais pobres e menos desenvolvidos do Brasil, tanto que toda a Nação está testemunhando, ao vivo, sua chegada ao fundo do poço. O Amapá faliu, falhou, explodiu!
  A perplexidade se torna maior, pois, não dá para entender como senadores, deputados federais e estaduais, gestores executivos etc., se elegeram prometendo tanta coisa e, depois que chegaram ao poder e passaram a usufruir de tantas mordomias, prerrogativas e ferramentas de ação, não conseguiram promover ações efetivas, verdadeiras, concretas que possibilitem o mínimo de desenvolvimento em favor de um povo tão sofrido e abandonado, como o Brasil está vendo neste momento pelos meios de comunicação.
  Em nossa opinião, a atual geração de políticos amapaense faliu, fracassou, foi incompetente frente a oportunidade que o povo lhes deu durante estas três décadas, desde a implantação efetiva do Estado.
  Ao nosso ver, ainda não será nesta eleição de 2020 que a mudança necessária irá acontecer, que nova geração de políticos irá conseguir se erguer. O tempo hoje está fechado no que toca aos destinos deste tão pequeno e carente Estado. Mas, acreditamos que, a partir do próximo pleito de 2022 um novo grupo de líderes se levantará para gerir, com mais competência e responsabilidade, nossa Cidade, pois, se assim não acontecer, perderemos nossa última saída: a esperança!
 
 
 
DESTAQUES DA SEMANA
1- Revoltada, população ateia fogo em pneus e paus velhos pela Capital, em protesto contra incompetência política.
2- Eleitores, humilhados pela situação caótica do Estado, juntam água da chuva para sobreviver. Um inferno!
3- Presidente do TSE, ministro Barroso, inusitado, suspende eleições de hoje em Macapá para data futura e incerta.
 
 
LIDERANÇAS
Liberdade religiosa sofre afronta de membro do Poder Judiciário no Maranhão. Brasil todo reage. O fato aconteceu esta semana em Coroatá-MA, local onde o ex-presidente da AD – A Pioneira do Amapá, Pastor Otoniel Alves de Alencar (foto), de saudosa memória, também foi líder ali naquela cidade há anos atrás.
  Como aconteceu: O Pastor Natanael e a irmã Rosinha, ambos da AD de Coroatá estavam, em via pública, fazendo um culto ao ar livre. Somente os dois. A juíza da Cidade, incomodada com o som, mandou alguém pedir para que a dupla baixasse o som. Os dois religiosos, ao saberem do pedido da magistrada, assim o fizeram. Entretanto, de veneta, a juíza chamou dois policiais e determinou que os mesmos algemassem e prendessem os religiosos. Assustados, sem entender o porquê, os policiais pediram desculpas aos religiosos e procederam a prisão ordenada. Inusitadamente, também, o caso repercutiu em todo o país. Autoridades em todo Brasil reprovaram a atitude inconstitucional da referida magistrada. 
  O caso ainda está rolando nas redes sociais e nos meios de comunicação. Acompanhe...
 
ESPECIAL
NEWS: 01- Lideranças suspendem e adiam evento anual da UFIADAP: Diante do caos social e político que o Estado está vivendo, os pastores Oton Alencar e Besaliel Rodrigues (foto), da Convenção de Pastores UFIADAP, decidiram, por prudência, suspender o evento anual da 12ª AGO – Assembleia Geral, agendado para acontecer esta semana, de 19 a 21.11, para data futura a ser divulgada, pois a crise generalizada está causando muito sofrimento ao povo; 02- Morre Apóstolo Elias, presidente do Ministério Betel: O referido líder passou para a eternidade na última 5ª feira. O mesmo era casado com a Pastora Simone Palheta, que também é professora e pós-doutora do Curso de Direito da Unifap e membro da Academia de Letras ALEA. Nossas condolências, em nome da Convenção UFIADAP, à Pastora Simone, família, amigos, alunos e ministério; 03- Também morreu o ex-jogador de futebol e Pastor Neemias Dilermano: Conhecido como Dilé, deixou a viúva Pastora Eliana, filhos e netos. Estendemos também nossas condolências, em nome da Convenção UFIADAP, à família, amigos e ministério. 
 
ESTUDOS BIBLICOS
Tema: O princípio da Obediência. Diz a Bíblia, em 1 Samuel 15.22: “Porém Samuel disse: Tem porventura o Senhor tanto prazer em holocaustos e sacrifícios, como em que se obedeça à palavra do Senhor? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar; e o atender melhor é do que a gordura de carneiros.”.
  Este versículo está relacionado à advertência de Samuel ao rei Saul, o qual insistiu em desobedecer a Deus, querendo justificar tal desobediência com sacrifícios falsos.
  A obediência é o primeiro de todos os princípios estabelecidos por Deus ainda lá no Jardim do Éden. Ele advertiu: O dia em que desobedeceres, morrerás (paráfrase).
  A obediência é um teste à nossa fidelidade. Muitos dizem serem fiéis a Deus e ao líder, mas não obedecem, não honram, também não conseguem frutificar. Mas, todo obediente é frutífero.
  Seja inteligente e zele por sua carreira. Obedeça sempre. Nunca quebre este princípio estabelecido por Deus e Você inevitavelmente será bem-sucedido na face da Terra. Amém.
 
FIQUE LIGADO
Conselho Estadual de Pastores Presidentes de Igrejas. Reuniu-se mais uma vez, semana passada, via on line, o Conselho Estadual de Pastores Presidentes de Igrejas do Amapá. 
  O referido Conselho, que já conta com quase 30 (trinta) líderes presidentes somente na Capital, está em processo de organização sob a coordenação do Advogado e Pastor Besaliel Rodrigues e de uma equipe formada pelos pastores Olegário, Márcio Benício e outros.
  Em resumo, a pauta da citada reunião foi sobre: 1- Documentos cartorários; 2- Escolha da 1ª Diretoria (pro tempore); 3- Composição do Colégio Superior; 4- Planejamento Estratégico bienal; 5- Elaboração do Calendário de Eventos 2021; e 6- Projeto de Lei sobre o Conselho de Pastores.
  Em relação a este último assunto, o Coordenador Geral do Conselho disse que está articulando com o Vereador Suplente Dreiser Alencar no âmbito da Câmara de Vereadores de Macapá, no sentido de envidar esforços para que se transforme em lei no próximo ano. Sucesso!
Relacionadas »
Comentários »