28/11/2020 às 23h47min - Atualizada em 28/11/2020 às 23h47min

Infiltrado na Klan (Amazon Prime Video)

Vivian Soares. Foto:Arquivo Pessoal.
Ovacionado durante 6 minutos durante o Festival de Cannes de 2018, ‘’Infiltrado na Klan’’ fez e é história. Qualquer adjetivo que se possa usar para descrever sua genialidade parece ser muito pouco. Dosando perfeitamente sarcasmo e seriedade, o diretor Spike Lee traz uma premissa que pareceria absurda demais se não tivesse realmente acontecido, e de quebra, com todos os requintes de maestria possíveis.

A trama se passa em 1978 e narra a trajetória de Ron Stallworth (John David Washington), um dos poucos policiais negros do Colorado, que consegue se infiltrar, através de cartas e telefonemas, na Ku Klux Klan, a mais famosa organização terrorista e supremacista branca dos Estados Unidos. Contando com a ajuda de seu colega de trabalho Flip Zimmerman (Adam Driver) para participar dos encontros presenciais, aos poucos Ron conquista a confiança dos integrantes da organização para tentar, por fim, prendê-los.

A história como um todo é um questionamento sociopolítico, trazendo reflexões sobre a recorrência do racismo, inclusive com paralelismos aos atos de violência cometidos por supremacistas brancos em Charllotesville, no ano de 2015, cada detalhe é pensado para inserir o espectador em uma atmosfera de questionamento. Com a quantidade de assassinatos motivados por questões racistas no Brasil e nos Estados Unidos, seria um eufemismo dizer que esse filme é recomendável. Ele é necessário.

Garantindo boas risadas e uma boa dose de reflexão, ‘’Infiltrado na Klan’’ é um filme forte, divertido e inesquecível.



Rush – No Limite da Emoção (Amazon Prime Video)
 
Espirituoso e, fazendo todo jus ao título, cheio de emoção, o filme de Ron Howard (O Código Da Vinci) imerge o espectador no meio luxuoso e cobiçado da Formula 1 nos anos 70, e traz à tona uma rivalidade que transcendeu o mundo das corridas.

Niki Lauda (Daniel Bruhl) era um piloto austríaco comprometido, metódico e extremamente sério, já o inglês James Hunt (Chris Hemsworth) era o oposto, irreverente, mulherengo e impulsivo; a única coisa que os dois tinham em comum era a paixão profunda pelo esporte, e de quebra, a vontade incessante de ganhar um do outro. Durante anos, a disputa entre os dois foi muito mais individual do que profissional, e ficou conhecida mundialmente. Até que um acidente mudou tudo.

Exatamente como um bom filme de esportes que se preze precisa ser, ele é efervescente e contagiante. Não seria exagero dizer que a trama transborda emoção, mas ela não seria tão incrível se fosse só por isso, sua elevação se deve ao fato de retratar em cada um dos pilotos uma motivação absurda, uma vontade de vencer e de ser melhor que ultrapassa todos os limites físicos e mentais. 

Brilhante, passional e cheio de energia, ‘’Rush – No Limite da Emoção’’ é a epítome da intensidade.
Tags »
Relacionadas »
Comentários »