30/09/2020 às 11h02min - Atualizada em 30/09/2020 às 11h02min

Potencial de exportação e logística do Amapá é destaque no Norte Export.

Baixo custo da logística de exportação e impacto ambiental reduzido torna o Estado mais atrativo para o mercado exterior.

Ascom Gea
Foto: Ascom Gea

No último dia do Fórum Regional Norte Export, o diretor de Desenvolvimento Setorial e Regional da Agência Amapá e também Conselheiro do Fórum, Joselito Abrantes, apresentou na tarde desta terça-feira, 29, as potencialidades que tornam Amapá mais atrativo para o escoamento da produção brasileira para o mercado exterior.

Abrantes fez a apresentação no painel Necessidades e Demandas dos Terminais da Região Norte, onde defendeu o baixo custo da logística de exportação do Brasil usando o Arco Norte, se comparado aos já praticados nas regiões Sul e Sudeste, além do impacto ambiental gerado pelas rodovias até os portos.

“Pelo Arco Norte esse custo reduz em média 30% a 40%, dado sua localização geográfica estratégica de proximidade aos maiores portos do mundo, como da Europa, Estados Unidos, China e canal do Panamá”, explicou Abrantes.

Segundo ele, além da expansão do Porto de Santana, mais quatro terminais portuários privados entrarão em funcionamento até 2024 no Amapá, consolidando assim um eixo logístico para exportação que deve intensificar o fluxo de investimentos para a cadeia industrial do agronegócio.

Com os menores custos logísticos, somados aos incentivos fiscais da Zona Franca Verde, Área de Livre Comércio de Macapá e Santana e aos incentivos estaduais, aumenta a projeção de verticalização da produção do Amapá. Com esse estímulo, o estado pode passar a ser um grande polo produtor de alimentos derivados da suinocultura, avicultura, bubalinocultura e da aquicultura, que poderão ser transportados em contêineres refrigerados para grandes mercados consumidores da Europa e da China.

“O Amapá não pode perder a janela de oportunidade que se apresenta no momento. O fórum regional Norte Export é uma excelente chance para mostrarmos para o restante do país e para o mercado exterior a potencialidade do corredor logístico do Arco Norte que passa pelo Amapá”, destacou Joselito.

 

Norte Export

O Fórum funciona como um espaço permanente de debates sobre o setor e reúne os principais atores da cadeia de logística portuária, agronegócio e multimodalidade.

A programação engloba vários canais de informação, como site e redes sociais, que atuam como multiplicadores de conteúdos nos principais veículos do Brasil, oportunizando experiências, conhecimento e novas perspectivas sobre o momento atual e a retomada da economia.

Todos os debates do fórum são 100% online e gratuitos, o podem ser acompanhados através do site www.forumbrasilexport.com.br.

 

 

 

 


Notícias Relacionadas »
Comentários »