09/11/2020 às 14h27min - Atualizada em 09/11/2020 às 14h27min

Falta de energia leva rede estadual a suspender aulas remotas no Amapá.

Medida afeta 120 mil alunos, que têm atividades remotas desde março.

EBC
Foto:Divulgalçao Ministério de Minas e Energia

A Secretaria de Educação do Amapá suspendeu as aulas remotas em toda a rede de ensino estadual devido ao racionamento de energia elétrica em 13 das 16 cidades amapaenses. A medida foi anunciada na manhã desta segunda-feira (9) e valerá pelo tempo que durar o racionamento.

De acordo com a secretaria, a suspensão das atividades pedagógicas não presenciais por tempo indeterminado afeta cerca de 120 mil estudantes que, devido à pandemia de covid-19, estavam tendo aulas exclusivamente remotas (online) desde o início de março.

A falta de energia elétrica que se seguiu ao incêndio no transformador interrompeu o fornecimento de água e afetou vários outros serviços básicos no Amapá. Geradores a óleo diesel foram acionados para que não faltasse luz em hospitais e unidades de saúde – o que não evitou que algumas instituições, como o Hospital da Mulher Mãe Luzia, única maternidade pública do Amapá, tivessem problemas pontuais. No campo da segurança pública, o Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar reforçou o policiamento ostensivo em toda a capital. O governo estadual decretou situação de emergência em todo o estado.

O transformador de energia que pegou fogo por volta das 21h de terça-feira (3) pertence à empresa concessionária Linhas de Macapá Transmissora de Energia (LMTE), controlada pela empresa espanhola Isolux, e foi totalmente destruído. No sábado (7), a Justiça Federal do Amapá determinou que a empresa restabelecesse o fornecimento de energia elétrica em todo o estado no prazo de três dias, sob pena de ser multada em R$ 15 milhões. Na véspera, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, havia dito que o serviço deveria ser integralmente restabelecido em dez dias.

 


Notícias Relacionadas »
Comentários »