16/11/2020 às 11h55min - Atualizada em 16/11/2020 às 11h55min

Polícia Civil do Amapá prende 22 pessoas durante eleições municipais 2020.

Dinheiro, veículos, material de campanha e anotações referentes à compra de votos foram também foram apreendidas.

Polícia Civil
Foto: Polícia Civil

Neste domingo, 15, a Polícia Civil do Amapá contou com 230 policiais civis nos municípios do interior do estado, a fim de garantir a segurança, bem como prevenir e repreender crimes eleitorais nas eleições municipais de 2020.

As Delegacias de Polícia localizadas no interior do estado do Amapá estiveram com equipes de prontidão para atender os casos referentes ao processo eleitoral, bem como disponibilizaram equipes nas ruas visando garantir a ordem e coibir o cometimento de crimes. Todas as Centrais de Flagrantes da capital estiveram disponíveis para dar suporte, caso necessário.

Durante a ação policial, 22 pessoas foram presas em flagrante. Dinheiro, veículos, material de campanha e anotações referentes à compra de votos foram apreendidas.

Em Pedra Branca do Amapari, Laranjal do Jari e Ferreira Gomes quatro pessoas foram presas por recusa de obediência a ordem da Justiça Eleitoral. Em Santana, onde a Divisão de Capturas reforçou o policiamento ostensivo, nove pessoas foram presas, sendo, um, por abandono do serviço eleitoral sem justa causa, e, oito, por arregimentação de eleitor e propaganda de boca de urna. Em todos os flagrantes foi lavrado Termo Circunstanciado de Ocorrência.

Em Tartarugalzinho, quatro pessoas foram presas em flagrante por dar dinheiro para obter voto e uma pessoa foi presa por concentrar eleitores sob o fornecimento gratuito de alimento e transporte coletivo.

Em Serra do Navio e Vitória do Jari, três pessoas foram presas em flagrante por dar dinheiro ou cesta básica para obter voto. No município de Porto Grande, uma pessoa foi presa em flagrante por transporte ilegal de eleitores.

Nos municípios de Laranjal do Jari, Oiapoque, Mazagão, Calçoene e Santana (auto de prisão em flagrante), os procedimentos foram lavrados pela Polícia Federal. Nas outras localidades, foram lavrados pela Polícia Civil.

A forca tarefa, que foi coordenada pelo Delegado Fábio Araújo, diretor do Departamento de Polícia Especializada, foi exitosa e resguardou o pleito eleitoral.

"Tivemos um pleito eleitoral dentro da normalidade, de democracia e da paz social. Nossos Delegados, Agentes e Oficiais de Polícia contribuíram na garantia da ordem e da segurança, bem como na prevenção e investigação de crimes eleitorais. Agradeço a cada policial envolvido nessa ação pelo empenho e dedicação" destacou o Delegado.

Notícias Relacionadas »
Comentários »