16/11/2020 às 21h04min - Atualizada em 16/11/2020 às 21h04min

Amapá inicia campanha de doação de leite materno e sangue para prematuros.

O objetivo é sensibilizar e incentivar a adesão de novos voluntários e voluntárias para o Banco de Leite Humano (BLH) e Hemoap.

Ascom Gea
Foto: Ascom Gea

Iniciou nesta segunda-feira, 16, a campanha com o tema "Juntos pelos Prematuros, Cuidando do Futuro". A iniciativa une o Banco de Leite Humano (BLH) e o Instituto de Hematologia e Hemoterapia do Amapá (Hemoap) em uma campanha simultânea de doação de leite materno e sangue para prematuros.

A referência da programação é a passagem do Dia Mundial da Prematuridade, em 17 de novembro, que este ano acontece nesta terça-feira. O dia foi criado para prevenir e informar sobre as consequências que o nascimento antecipado podem acarretar para o bebe, a família e até mesmo à sociedade.

No Amapá o objetivo é sensibilizar e incentivar a adesão de novos voluntários e voluntárias para doação de leite materno e/ou sangue para os recém-nascidos prematuros. A doação foi escolhida pois leite, hemácias e plaquetas - extraídas do sangue doado - são indispensáveis para os bebês durante o tempo de internação na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTINeo).
 

"Tanto o leite quanto o sangue têm grande importância para a sobrevivência dos bebês. São fundamentais para proporcionarmos saúde para que sobrevivam e tenham um futuro próspero", destacou Coordenadora do BLH, Larissa Moraes.

Tanto o leite quanto o sangue são perecíveis, tem data de validade e precisam ser repostos, explicou a diretora Técnica do Hemoap, Hellen Bittencourt.

"O sangue, assim como o leite, é vida. E ambos precisam de toda uma condição de armazenamento e cuidado para que não sejam perdidos e cheguem com qualidade aos bebês", destacou Bitrencourt.

Para o bom armazenamento do leite humano, há necessidade de refrigeração imediata após a retirada do peito. Neste sentido, devido ao rodízio de energia que acontece em Macapá, as mães interessadas em doar sangue precisam se deslocar até o BLH, nos três turnos (manhã, tarde e noite), para que a ordenha seja feita no local e com isso garantir o estoque.

Vandê da Costa, de 19 anos, fez sua primeira doação de sangue nesta segunda-feira. Ele ficou surpreso com a campanha que se inicia. Mesmo sendo uma doação direcionada, disse que foi dado o pontapé inicial para que se torne um doador frequente de sangue.

"Acho que todas as pessoas, que podem, deveriam doar sangue. Ainda mais com toda essa situação da pandemia que causou a queda de doações em todos os bancos de sangue. Queria ter vindo antes, mas confesso que não tinha coragem. E posso afirmar, agora, que essa não será a minha primeira doação. E vou incentivar quem eu conheço que faça o mesmo", declarou Vandê.


Notícias Relacionadas »
Comentários »