08/06/2019 às 06h00min - Atualizada em 08/06/2019 às 06h00min

Governo vai fomentar produção de pescado e açaí para alcançar mercados internacionais

O modelo deverá ser replicado para cadeias de outros produtos amapaenses e atividades econômicas. Objetivo é estruturar desde os insumos até a certificação.

Portal Amapá
Encontro na Sepla, discutiu as responsabilidades de cada órgão na elaboração do planejamento para o setor econômico. (Maksuel Martins/Secom)

O pescado e açaí foram escolhidos como produtos da linha de frente de um novo modelo de estratégias para desenvolvimento integrado de cadeias produtivas que será implementado pelo governo do Estado para estabelecer relações comerciais com mercados internacionais – em especial com investidores russos. O objetivo é alcançar a produção em alta escala e estruturar a cadeia, de ponta a ponta, desde os insumos até a certificação do produto final.

Para isto, o governo estadual começou a construir um planejamento com linhas de ação que deverão ser implementadas por órgãos dos setores econômico, de ciência e tecnologia e educação, para garantir qualidade, regularidade e volume de produção do pescado e do açaí no Estado. As responsabilidades de cada órgão foram definidas durante um encontro ocorrido nesta terça-feira, 4, na Secretaria de Estado do Planejamento (Seplan), com a participação de técnicos e gestores.

De acordo com o secretário de Estado do Planejamento, Eduardo Tavares, na prática, o governo vai apoiar os empreendedores dessas duas cadeias na captação de recursos, acesso ao crédito, no licenciamento ambiental, capacitação de mão de obra, insumos, pesquisa e tecnologia, criação de marcos legais e certificação (Selo Amapá), entre outros. Desta forma, toda a cadeia estará em condições de competir nos mercados de exportação.

Segundo o secretário, depois do pescado e do açaí, o modelo deverá ser replicado para cadeias de outros produtos amapaenses e atividades econômicas. A princípio, o pescado e o açaí foram escolhidas por terem menos dificuldade com processos burocráticos, como regularização fundiária, por exemplo.

“Queremos especializar estas cadeias e deixá-las mais aptas para novas rotas comerciais. São duas cadeias já solidificadas, com uma tradição no país. Estamos fazendo um planejamento, com prospecção para a rota comercial que o Amapá quer estabelecer com a Rússia. O objetivo é alcançar resultados diretos no PIB [Produto Interno Bruto] do Amapá”, explicou Tavares.

Ele também ressaltou que as ações para o pescado e o açaí irão integrar os objetivos do Plano Plurianual (PPA), sem, contudo, prejudicar o andamento de políticas públicas voltadas às demais cadeias produtivas.

Um grupo de trabalho deverá ser instituído pelo governador Waldez Góes, via decreto, composto por dois técnicos de órgãos dos setores econômico, de meio ambiente e educação. Além da Seplan, o grupo funcionará sob a coordenação das Secretarias de Estado da Ciência e Tecnologia (Setec) e de Desenvolvimento Rural (SDR).


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »