13/01/2021 às 10h50min - Atualizada em 13/01/2021 às 10h50min

Janeiro Roxo: saiba mais sobre o mês de conscientização e combate à hanseníase

Doença é transmitida pelas vias respiratórias, e causa manchas na pele de qualquer tipo com perda total ou parcial da sensibilidade.

Ascom Gea
Foto: Janine Cruz
Sintomas incluem áreas com diminuição dos pelos e do suor, dor e sensação de choque, formigamento, fisgadas e agulhadas ao longo dos nervos dos braços e das pernas e inchaço de mãos e pés

Manchas de diversas colorações entre esbranquiçadas, avermelhadas ou acobreadas em qualquer área do corpo com perda total ou parcial de sensibilidade devem ser um sinal de alerta pois são sintomas da hanseníase.

O mês de janeiro é marcado pela cor roxa e tem no último domingo do mês o Dia Mundial de Combate e Prevenção da Hanseníase, que este ano cai em 31 de janeiro.

A hanseníase é uma doença infectocontagiosa, transmitida pelas vias respiratórias, que atinge a pele e troncos nervosos causando lesões no rosto, olhos, orelhas, nariz, braços, mãos, pernas e pés. Outros sintomas incluem áreas com diminuição dos pelos e do suor, dor e sensação de choque, formigamento, fisgadas e agulhadas ao longo dos nervos dos braços e das pernas e inchaço de mãos e pés.
 

Em estágios mais avançados, pode causar deformidades e incapacidades físicas, além de provocar danos nos nervos periféricos como das mãos e pés. Por isso toda a mancha deve servir como alerta, explicou o médico dermatologista, com especialidade em hansenologia, Paulo Maurício Figueiredo.

"A mancha pode ser de qualquer tamanho e localização e parecer com qualquer coisa - um pano branco, uma mancha de sol. Porém com um grande diferencial, a pessoa não sente nada em cima desta mancha. O diagnóstico não é difícil, basta fazer o teste da sensibilidade, passando um algodão em cima da mancha ", informou o dermatologista.

No Amapá, em 2020 foram registrados 46 novos casos da doença, um número menor que o ano anterior, quando foram notificados 96 casos, já o número de curados chegou a 94 pessoas que faziam o tratamento no Centro de Referência em Doenças Tropicais (CRDT).

O CRDT é referência no tratamento da hanseníase no Amapá. A unidade realiza atendimento multiprofissional com consultas de enfermagem, médica, e assistência farmacêutica.

Fluxo de atendimento

O diagnóstico da doença é simples, em caso de suspeita o paciente deve procurar uma Unidade Básica de Saúde (UBS) onde será feito o teste de sensibilidade e posteriormente encaminhado para o CRDT, onde confirmará o diagnóstico com exame laboratorial. Para o agendamento no CRDT o paciente deverá apresentar encaminhamento médico da UBS, cartão do SUS e identidade, sempre de segunda a sexta-feira, das 7h às 12h.

Após a confirmação da doença, o paciente inicia a terapia medicamentosa. O tratamento dura entre 6 meses e 1 ano, é totalmente gratuito e feito com antibióticos específicos para a doença tanto para adultos quanto para uso pediátrico. É importante que toda a família do paciente com diagnóstico positivo busque atendimento, já que a hanseníase é uma doença transmissível.

Notícias Relacionadas »
Comentários »