19/01/2021 às 08h00min - Atualizada em 19/01/2021 às 08h00min

Cuidados paliativos oferecem conforto para pacientes que enfrentam doenças incuráveis

Assistência paliativa requer equipe multidisciplinar e capacitação dos profissionais

DINO
https://vitallis.com.br

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada dez pessoas que precisam de cuidados paliativos (abordagem que visa melhorar a qualidade de vida diante doenças que ameacem a vida), apenas uma recebe a assistência. A notícia de uma doença progressiva e incurável pode vir acompanhada de medo e incerteza, mas, se existem profissionais que, além de tratar a doença, podem cuidar do sofrimento e oferecer apoio emocional, social e espiritual, o processo será mais leve, ainda que não seja fácil. É nesse quesito que entra a equipe multidisciplinar de cuidados paliativos, com objetivo de facilitar a aceitação da doença e reduzir os efeitos negativos da adaptação à nova rotina.

A proposta desse tipo de terapia não é prolongar a vida a todo custo, mas aliviar os sintomas de sofrimento e melhorar a qualidade de vida do paciente, assim como a de sua família. Proporcionar cuidados tão amplos, que envolvem médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos, assistentes sociais e outros profissionais, requer ação coletiva e também capacitação. No Brasil, no entanto, o desconhecimento e a desinformação com relação a essa modalidade de tratamento têm retardado a adoção da prática. Dados da Academia Nacional de Cuidados Paliativos (ANCP) mostram que menos de 10% dos hospitais brasileiros oferecem uma equipe dedicada a essa atividade.

Diante desse quadro, a obtenção de uma qualificação internacional nessa área é um diferencial que gera valor agregado aos beneficiários e colaboradores de planos de saúde, por exemplo. Uma das certificações é a NewPalex, concedida pela New Health Foundation (NHF), instituição global sem fins lucrativos dedicada ao estudo e à otimização de sistemas de saúde e assistência social. O selo segue uma metodologia baseada em uma série de recomendações específicas para o gerenciamento e organização de diferentes tipos de recursos e programas de cuidados paliativos.

No Brasil, a certificação assegura a humanização, a qualidade e a segurança dos processos adotados por um programa gratuito de cuidados paliativos para beneficiários de uma operadora de saúde em Minas Gerais, que utiliza a metodologia projetada de forma inovadora pela própria NHF. "É uma metodologia que incorpora padrões focados na atenção integral, baseados em um sistema de melhoria contínua, não só no atendimento, mas também em áreas transversais, como comunicação, recursos humanos, voluntariado, entre outros, buscando a excelência em todos esses aspectos", explica a case manager do Programa Contigo da Vitallis, Lívia Nishimura. Os cuidados são oferecidos de forma individualizada, com atenção ativa e acompanhamento no melhor local para o paciente, seja no hospital ou na própria casa.

De acordo com a NHF, "o Programa Contigo obteve resultados espetaculares em valor à saúde dos beneficiários e aqueles que os amam: eles avaliam o nível de satisfação com o programa em 93,8%". Na auditoria, foram alcançados índices de 86,7% de redução de dor; aumento de qualidade de vida e bem-estar de 70,5%; e o índice do controle de bem-estar do paciente ficou em 84,4%. "A operadora foi certificada por cumprir os requisitos necessários para a implantação da metodologia NewPalex, segundo a auditoria realizada e orientações do manual entregue pela entidade", afirma. "Oferecemos um cuidado especial, humanizado e profissional no momento em que os pacientes e suas famílias tanto necessitam de apoio, prestando atenção também à saúde da nossa equipe. Na auditoria, o programa obteve resultados no controle da síndrome de Burnout, por exemplo", comenta Lívia.

Ela ressalta que, apesar de serem associados a problemas incuráveis, os cuidados paliativos também podem ser aplicados para diminuir os sintomas de pacientes com doenças graves, mas com possibilidade de cura, e também daqueles que não passam por risco imediato, mas, mesmo assim, vivem mudanças profundas e dolorosas, como diabetes. "O cuidado paliativo deve estar presente em todos os níveis de assistência, desde o diagnóstico. Isso traz uma grande diferença na qualidade de vida e diminui o risco com hospitalizações e intervenções desnecessárias", comenta Lívia. Além da certificação do programa, as unidades assistenciais, o Hospital Keralty Barreiro, o Centro Médico Keralty (Unidade Centro) e a equipe de atenção domiciliar tiveram a certificação da New Health Foundation renovada, inclusive com resultados melhores, o que demonstra o compromisso constante da equipe e seu acompanhamento.


Notícias Relacionadas »
Comentários »