07/06/2019 às 22h00min - Atualizada em 07/06/2019 às 22h00min

Comissão de Ecologia da Alepa realiza reunião sobre o problema do lixo na capital

Para o presidente da Comissão, deputado Chamonzinho, esse encontro foi para concretizar uma deliberação, sendo que um dos encaminhamentos será a realização de uma reunião com as autoridades envolvidas para que tomem medidas cabíveis para a solução do lixo

Alepa
A comissão da Casa de Leis, composta por sete membros, tem o dever de elaborar projetos que de forma direta e indireta impliquem em alterações no meio ambiente. (Alepa)
Coordenada pelo deputado Chamonzinho, a Comissão de Ecologia, Meio Ambiente, Geologia , Mineração e Energia da Assembleia Legislativa do Estado do Pará realizou na sala vip, logo após sessão deliberativa, uma reunião ordinária tendo como objetivo a crise da destinação do lixo na região metropolitana de Belém.

A comissão da Casa de Leis, composta por sete membros, tem o dever de elaborar projetos que de forma direta e indireta impliquem em alterações no meio ambiente, promova diligências para verificação de algum desequilíbrio ambiental, além de propor medidas e diretrizes para uma politica nos levantamentos das atividades decorrentes das ações que possam causar danos ao meio ambiente.

Para o presidente da Comissão, deputado Chamonzinho, esse encontro foi para concretizar uma deliberação, sendo que um dos encaminhamentos será a realização de uma reunião com as autoridades envolvidas para que tomem medidas cabíveis para a solução do lixo naquele local. “Toda essa crise que está ocorrendo na região metropolitana de Belém, no que diz respeito ao lixo, deve ser solucionada. Vamos trazer aqui o Ministério Público do Estado, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade, representantes dos municípios de Belém, Ananindeua e Marituba, além da empresa Guamá Tratamento Resíduos que será convocada para que possa esclarecer o que de fato ocorre. A reunião será dia 19 desse mês, logo após o encerramento da sessão ordinária, na sala dos ex-presidentes. A solução tem que ser dada para a população, quais são as medidas tomadas para que a população deixe de sofrer com o mau cheiro do lixo ali despejado. Essa será uma reunião técnica, em seguida, num outro momento, vamos ouvir a sociedade e juntos termos uma solução”, concluiu.

O deputado Hilton Aguiar falou que é vergonho passar por vias da capital e ver que o lixo toma conta de local, onde na verdade deve ser cuidado e respeitado. “Me envergonho, na maioria das vezes, quando passo nas ruas da cidade de Belém, em nossa região Metropolitana. O lixo toma conta da cidade e o povo sofre com tudo isso, precisamos avançar para algo positivo, não é justo que a população pague por algo que não tem culpa. Temos que ouvir a população e resolver a questão do lixo na região metropolitana de Belém”, destacou.

“O que acontece, hoje, é que nós seres humanos não estamos mais suportando a falta de respeito do próprio ser humano com a natureza, com o meio ambiente. Essa iniciativa da Comissão é salutar, é relevante, mas o que é essencial é a busca de uma solução para que aquela população não sofra mais com os despejos do lixo naquele local”, disse a deputada, Renilce Nicodemos.

O drama da população que vive próximo ao aterro de Marituba ocorre a muito tempo. A população tem sido diretamente afetada com o mau cheiro, causando problemas de saúde a todos os moradores das redondezas. O aterro de Marituba tem como destino 1,6 toneladas de lixo por dia, de Belém, Ananindeua e Marituba.

Participaram da reunião também os deputados Chicão, líder do Governo na Casa, e Ozório Juvenil, Presidente da Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa do Estado do Pará.

Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »