18/02/2021 às 09h00min - Atualizada em 18/02/2021 às 09h00min

VLC Player deve ganha nova versão ainda em 2021

Um dos programas mais utilizados para reproduzir mídia nos anos 2000, o VLC Player retorna em 2021 com versão atualizada e compatível com principais plataformas de streaming.

DINO
https://melhoresofertas.net/
VLC Player sendo utilizado para reprodução de vídeo


A primeira década dos anos 2000 foi marcada por muitos recursos tecnológicos fazendo parte da vida das pessoas, muitos deles inseridos dentro do universo da internet.

Assim como os celulares foram de meros aparelhos de telefonia, para aparelhos completos e indispensáveis no dia a dia, os computadores também foram evoluindo com o passar dos anos. Com eles, programas como o MSN Messenger, a rede social Orkut e os reprodutores de mídia ganharam espaço na cultura popular.

Um exemplo deles é o VLC Player, um dos programas de reprodução de mídia mais utilizados pelos usuários nessas primeiras duas décadas de evolução tecnológica.

VLC: O surgimento

O VLC foi inventado em 1996, sendo inicialmente um projeto acadêmico que tinha como objetivo transmitir vídeos dentro de um campus, usando antenas parabólicas. Ele foi criado por alunos da École Centrale Paris, e atualmente é gerido por colaboradores em diversos países, coordenado pela VideoLAN.

Em 2001 o projeto foi desconectado da função cliente/servidor, passando a ficar disponível para uso geral. Durante os próximos anos, o VLC Media Player seria uma dos programas de mídia mais usados em computadores de todo o mundo.

Principais características do VLC

Na primeira década dos anos 2000 o YouTube era um dos lugares favoritos para que as pessoas pudessem acessar e compartilhar vídeos, incluindo filmes e séries. Com a popularidade dos torrents - modalidade de download que faz download de arquivos distribuídos em partes em diferentes computadores - os players de mídia ficaram muito famosos.

Porém, nem todos eles eram compatíveis com todos os formatos de arquivo. O Windows Media Player, por exemplo, era bem restrito, e precisava da instalação de codecs para rodar arquivos de extensões diferentes, como .MKV ou .RMVB, por exemplo.

Foi assim que o VLC Media Player caiu no gosto popular. Por ser um programa de código aberto, ele conseguia armazenar uma quantidade maior de codecs nativos, o que permitia que ele rodasse praticamente qualquer tipo de arquivo, inclusive com download em andamento.

Tirando de lado o problema da pirataria, que ficou muito comum nessa época, graças à facilidade de baixar arquivos na internet de forma fácil e gratuita, o VLC contribuiu e muito para a democratização do acesso a conteúdos de diversas categorias a um número exorbitante de pessoas.

VLC para dispositivos móveis

Entre 2009 e 2011, os smartphones começaram a ganhar espaço no mercado, principalmente por conta do sistema Android. Trazendo funcionalidades que antes eram exclusivas dos computadores, como acessar páginas completas da web e aplicativos completos, os smartphones impulsionaram o desenvolvimento de apps.

Foi aí que o VLC ganhou sua primeira versão móvel, e até 2016 somou cerca de 3 bilhões de downloads, segundo dados do sourceforge.net. Foi nessa época que os serviços de streaming começaram a conquistar um número cada vez maior de pessoas, e os reprodutores de mídia passaram a não ser tão utilizados.

A possibilidade de assistir filmes e séries de qualquer lugar, inclusive com planos de celular específicos para esse tipo de uso, fez com que o download de mídias como vídeos e músicas, como era feito antes, ficasse menos comum.

VLC repaginado em 2021

Embora menos popular que nos anos de ouro, o VLC continuou a ser usado, mesmo sem atualizações constantes. No início de fevereiro, Jean-Baptiste Kempf, presidente da VideoLAN, e responsável pelo software, anunciou uma versão 4.0 do VLC, com mudanças atualizadas às necessidades dos usuários.

Segundo ele, os desenvolvedores estão preparando não só um visual mais moderno, mas também compatibilidade com os principais serviços de streaming de vídeo, como Netflix, Amazon Prime e Disney +.

Novidades também são esperadas em uma versão web, onde os usuários poderão utilizar o player em seus navegadores habituais. Por ser um programa gratuito, a empresa ainda estuda a possibilidade de trabalhar com vídeos de anúncios, gerando alguma receita interna com a disponibilização do programa.

 

 

Notícias Relacionadas »
Comentários »