22/02/2021 às 12h00min - Atualizada em 22/02/2021 às 12h00min

Cálcio de algas marinhas: uma opção saudável para quem deseja cuidar dos ossos

Estudos recentes comprovam que mulheres maduras, e mais vulneráveis à osteoporose, têm saúde óssea preservada com uso de cálcio de algas marinhas.

DINO
https://osteocapstotal.com


Diversos estudos têm sido realizados nos últimos tempos com o intuito de relacionar o uso de cálcio extraído de algas com a melhoria da saúde óssea de mulheres de mais de 40 anos. Isso porque esse grupo é considerado prioritário quando o assunto é combate a doenças como a osteoporose, que provoca perda da densidade óssea com o avanço da idade.

Uma pesquisa internacional recente, encomendada pela farmacêutica Amgen e realizada pela KRC Research, mostrou que a perda de massa óssea afeta um em cada cinco homens. Já no caso das mulheres, uma a cada três sofrerão com o problema, deixando-as mais vulneráveis a fraturas, por exemplo. Outro ponto que chamou atenção na pesquisa é o número ínfimo de mulheres - entre as entrevistadas - que sabiam que a osteoporose acomete mais pessoas do sexo feminino. Apenas 7% delas disseram saber que apenas o fato de ser mulher já aumenta o risco. Na média mundial, 25% das mulheres tinham esse conhecimento.

Estudos comprovam eficácia de suplementação de cálcio de algas

Nesse sentido, algumas pesquisas realizadas em países como Brasil, Estados Unidos, Reino Unido e Austrália têm se debruçado em entender se a suplementação com cálcio extraído de algas marinhas de fato pode ajudar as mulheres a inibirem eventuais problemas de saúde relacionados aos ossos. Um desses estudos, publicado no National Library of Medicine, atestou que o suplemento de cálcio à base de plantas (algas marinhas) com altos níveis de cálcio, magnésio e outros minerais de suporte ósseo, é consideravelmente mais efetivo do que a suplementação derivada de carbonato ou citrato de cálcio (suplementos de cálcio comuns). 

Em outra pesquisa publicada no Nutrition Journal, um grupo formado por 58 adultos que recebeu suplementação de cálcio de origem de alga teve aumento significativo no aumento da densidade mineral óssea. Quanto maior a dose, maior foi o aumento dessa densidade. Por fim, estudo publicado no International Journal of Medical Sciences, e realizado com 414 mulheres com mais de 40 anos, atestou que a intervenção com cálcio de algas reduziu significativamente as perdas de densidade mineral óssea em relação a grupos que não receberam essa suplementação, confirmando a importância da ingestão de cálcio para impedir doenças causadas por enfraquecimento ósseo.

Função do cálcio no organismo

Mineral mais abundante no corpo, o cálcio pode chegar a ser responsável por 2% do peso e tem funções essenciais, como a formação e manutenção do esqueleto, fortalecimento de ossos e dentes, proteção do organismo contra a entrada de células alérgicas, melhoria do funcionamento cerebral e auxílio na contração muscular e na coagulação do sangue. Apesar de tanta importância, mais de 85% dos adultos homens e mulheres no Brasil, têm deficiência de cálcio, conforme mostrou a última POF (Pesquisas Orçamentárias Familiares), divulgada recentemente. Outras pesquisas apontam que os brasileiros ingerem, em média, 500 miligramas de cálcio. Todavia, o recomendado, para uma pessoa adulta, é o dobro dessa quantidade.

Consequências da falta de cálcio

Especialistas alertam que, além da osteoporose, a deficiência do cálcio pode causar problemas como o raquitismo (doença que ocorre em crianças e adolescentes e que consiste na falta de mineralização de osso recém-formado) e osteomalácia (desmineralização que provoca dores, fraqueza e deformidade do esqueleto), além de outros problemas como fraqueza muscular, formigamentos. Esse baixo consumo de cálcio no dia a dia é uma das principais razões que levam as pessoas a optarem pela suplementação do mineral, colocando-o como o segundo preferido (22%) atrás apenas das vitaminas, de acordo com levantamento realizado pela  Associação Brasileira da Indústria de Alimentos Para Fins Especiais e Congêneres (Abiad). 

Como as algas marinhas se transformaram em protagonistas da suplementação de cálcio

Se antes o leite e seus derivados eram apontados como algumas das principais fontes naturais de cálcio - pelo fato de a lactose facilitar a absorção do mineral -, junto a outros itens como verduras verde-escuras e sementes, ovos, nozes, leguminosas e tofu, hoje as algas despontam como uma das preferidas da indústria e têm sua eficácia comprovada por estudos científicos, conforme reportado acima. Além de pesquisas da Europa e Estados Unidos, estudos desenvolvidos em universidades brasileiras também apontam que as algas calcáreas, que crescem naturalmente litoral, absorvem o carbonato de cálcio e magnésio tornando-se uma fonte renovável de micro e macrominerais - entre os quais o cálcio.

Por essa razão, após passarem por processo de lavagem, desidratação e moagem, elas têm sido amplamente utilizadas na indústria de cosméticos, de nutrição animal e na nutrição humana. A indústria de leites vegetais, por exemplo, tem usado muito as algas como forma de suplemento de cálcio, já que o produto pode ser produzido a partir de extratos que não sejam fontes tão ricas no mineral, como amêndoas e soja, por exemplo.

Cápsulas de cálcio de algas

Por ser a forma mais comum e fácil de suplementação, as cápsulas também abrigam as benéficas algas para o consumo humano. Há opções no mercado inclusive ajustadas para pessoas que têm problemas como intolerância à lactose e a glúten, já que o suplemento não possui leite.

Uma dessas opções disponíveis é o Osteocaps Total, um suplemento à base de lithothamnium (gênero de algas marinhas presente em grandes colônias em mar aberto), enriquecido com vitaminas D3 e K2, o que multiplica a eficiência do cálcio no processo de fortalecimento dos ossos, alívio de dores e combate a doenças. Além de eliminar a deficiência mineral, as algas também são apontadas como excelentes fontes de ferro e ácidos graxos ômega-3, benéficos para as articulações e, portanto, para a saúde ortopédica. 

Dosagem

Como qualquer coisa em excesso, o cálcio também pode fazer mal se ingerido em forma de suplementação em grandes quantidades. Apesar de não comprovados, alguns estudos associam essa hiperdosagem a problemas cardiovasculares. Por isso, respeite as doses máximas diárias de cálcio recomendadas pelos especialistas.

Osteocaps Total é um produto dispensado de registro na Anvisa, conforme a RDC 27/2010.

Notícias Relacionadas »
Comentários »