17/06/2019 às 06h00min - Atualizada em 17/06/2019 às 06h00min

Presidente e Corregedor-Geral do TJAP são recebidos pela direção da Federação do Comércio do Estado do Amapá

O objetivo do encontro, que partiu de iniciativa do próprio presidente do TJAP, foi estreitar cooperação com a instituição, ali representada pelos dirigentes dos sindicatos que compõem a Federação.

TJAP
Eduardo Contreras, que registrou no encontro ter participado dos atos constitutivos da Fecomércio-AP, à época sob gestão do empresário José Alcolumbre. (TJAP)

A Federação do Comércio do Estado do Amapá (Fecomercio-AP), na pessoa do seu presidente Eliezir Viterbino da Silva, recebeu comitiva composta pelo presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Amapá (TJAP), desembargador João Guilherme Lages, e pelo corregedor-geral do TJAP, desembargador Eduardo Contreras, na noite desta quinta-feira (13). O objetivo do encontro, que partiu de iniciativa do próprio presidente do TJAP, foi estreitar cooperação com a instituição, ali representada pelos dirigentes dos sindicatos que compõem a Federação.

Presidente da Fecomércio-AP há cinco anos, atualmente exercendo o segundo mandato, Eliezir Viterbino registrou a honra em receber do TJAP. “Esta visita representa a valorização de toda a classe. Geramos quase 67 mil empregos no nosso estado, um pouco a mais que o setor público, e tê-los aqui para escutar e compreender nossa dinâmica demonstra um importante passo de abertura de diálogo e espírito público”, registrou.

O presidente João Lages enfatizou a importância que a organização tem a partir do público que representa. “São os grandes geradores de empregos e riquezas do nosso estado, inclusive financiando, por meio dos impostos, o funcionamento de todo o poder público local, contribuindo para a manutenção do Estado Democrático de Direito”, ressaltou.

“Estamos aqui para ouvir os anseios e dificuldades que muitas vezes se colocam como bloqueio ao nosso desenvolvimento e, na medida de nossas competências, encontrar caminhos possíveis, principalmente depois de termos visto noticiado nacionalmente que o Amapá tem uma das maiores taxas de desemprego do país”, relatou o desembargador Lages.

Registrando também que a queda de arrecadação de impostos estaduais verificada nos últimos meses precisa ser um assunto abordado com rigor e seriedade, o presidente do TJAP garantiu que “muito preocupa o bem estar geral da sociedade, mas o melhor jeito de tratar disso é gerar emprego formal, renda, desenvolvimento e impostos, no que é fundamental ter a participação da classe empresarial – tanto comercial quanto industrial”.

O corregedor-geral do TJAP, Eduardo Contreras, que registrou no encontro ter participado dos atos constitutivos da Fecomércio-AP, à época sob gestão do empresário José Alcolumbre, declarou empenho dele próprio e de sua equipe, com apoio da Presidência do TJAP, no sentido de aprimorar, entre outros serviços, as serventias extrajudiciais (cartórios).

“Termos planos de, em três meses, efetivar plenamente o uso de aplicativos fornecidos pelo Poder Judiciário para que cada um possa confirmar a autenticidade dos Selos Eletrônicos em documentos diversos, como procurações, por exemplo. Também estamos empenhados em realmente tornar efetiva a aplicação de uma tabela única de preços para serviços notariais/cartorários em geral”, registrou o desembargador Contreras.

Criada em 14 de fevereiro de 1991, a Fecomércio-AP, que também inclui o Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Comércio do Amapá (IPDC), o Serviço Social do Comércio (SESC) e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), agrega 12 sindicatos de categorias comerciais, representando mais de 25 mil empresas dos ramos de comércio, serviços e turismo no Amapá.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »