29/03/2021 às 14h07min - Atualizada em 29/03/2021 às 14h07min

Meteorologistas alertam para chuvas intensas e subida da maré nas próximas horas no Amapá

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cedec) segue acompanhando a situação e já tem um planejamento montado para atuar caso seja necessário.

Ascom/Gea
Foto: Defesa Civil monitora áreas com possibilidade de alagamentos

O Núcleo de Hidrometeorologia e Energias Renováveis do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (NHMET/Iepa) alerta para as marés do rio Amazonas nesta segunda-feira, 29, que podem ultrapassar os 3,3 metros a partir das 16h. De acordo com o Instituto, o aumento da maré pode estar relacionado a influência da lua cheia próxima do equinócio, ocorrido no último dia 20, assim como as chuvas previstas para ocorrerem nesta segunda.

Na terça-feira, 30, também há possibilidade de maré subir e alcançar os 3,4 metros às 04h26 e às 16h51. Na quarta-feira, 31, a maré alta também deve pode chegar aos 3,4 metros nos horários de 05h13 e 17h34.

“Há possibilidade de ocorrer o fenômeno denominado de “maré meteorológica”, que é caracterizado pela sobrelevação do nível da maré causada por efeitos meteorológicos (vento e pressão atmosférica), facilitando assim o transbordamento do rio Amazonas e seus afluentes”, explicou o meteorologista e gerente da Sala de Situação do Amapá (SSAP/NHMET), Dr. Jefferson Vilhena.

Segundo Vilhena esse transbordamento aliado às chuvas podem ocasionar alagamentos nos bairros próximos às áreas de ressacas, aos rios e igarapés. O meteorologista acrescentou que até o momento já choveu todo o esperado para o mês de março que era de aproximadamente de 430 milímetros.

“Nos próximos dias a gente prevê que essas chuvas podem ultrapassar a estimativa máxima que é de 530 milímetros. Tínhamos ainda uma previsão de chuvas de 70 milímetros e isso acabou sendo ultrapassado em duas ocasiões. Em uma choveu aproximadamente 80 milímetros e a outra se aproximou dos 100 milímetros”, detalhou.

A região central do estado, que engloba os municípios de Porto Grande, Pedra Branca do Amaparí, Serra do Navio, Ferreira Gomes e parte da região metropolitana, foi onde ocorreram as chuvas mais volumosas deste mês. O meteorologista acredita que nessa região pode ter ocorrido acima dos 500 milímetros de chuvas, já que existem a concentração de chuvas isoladas em locais aonde não há estação meteorológica para detectar e quantificar essas chuvas mais precisamente.

 

Defesa Civil Estadual

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cedec) segue acompanhando a situação e já tem um planejamento montado para atuar caso seja necessário. A Defesa Civil já possui o mapeamento das áreas que podem ser atingidas pelos alagamentos e já está alinhando com os municípios para encaminhar para abrigos as possíveis vítimas de alagamentos.

O órgão recomenda às pessoas residentes em locais de possíveis alagamentos, que ao perceberem as águas estão subindo, que procurem um local mais seguro.

“Importante ressaltar que quando ocorrem chuvas intensas há uma grande possibilidade de acontecer outras ocorrências como quedas de árvores, curtos-circuitos, acidentes de trânsito, ou seja, são situações que precisam ser observadas. Se estiver ocorrendo uma chuva intensa, pare, procure um local seguro e espere a chuva passar. E quando seguir, procure vias seguras”, alertou o coordenador estadual de defesa civil, coronel Wagner Coelho.


Notícias Relacionadas »
Comentários »