06/04/2021 às 15h14min - Atualizada em 06/04/2021 às 15h14min

Bolsonaro dá aval ao ministro da Justiça para troca do diretor-geral da PF

Anderson Torres, recém-empossado, recebeu autorização do presidente para tirar o Rolando de Souza do cargo. Haverá mudanças também na PRF

Com informações Metrópoles
Foto: Marcos Corrêa/PR
O novo ministro da Justiça e Segurança Pública, delegado Anderson Torres, pretende trocar o diretor-geral da Polícia Federal (PF), Rolando Alexandre de Souza.

Nesta terça-feira (6/4), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deu aval para que o novo titular da pasta promovesse as mudanças. Ainda não houve indicação de substituto.

Bolsonaro comentou brevemente a troca durante a cerimônia de posse de Anderson. “Eu quero te agradecer, Anderson, por ter aceitado o convite, que realmente é um desafio. Não é fácil e não é um ministério complicado, mas é um ministério que tem muita responsabilidade. Abaixo de você ali, diretamente subordinado entre outras, [está] a sua própria Polícia Federal”, destacou.

O presidente completou. “E é natural a mudança. E a gente sabe que você, todas as mudanças que efetuará no seu ministério, é para melhor adequá-lo ao objetivo, ao qual você traçou. Você quer o Ministério da Justiça, o mais focado possível para o bem de todos em nosso país”, frisou.
Crise

Em meio à crise decorrente da exoneração do então diretor Maurício Valeixo, Rolando de Souza assumiu a chefia da PF em maio de 2020. Ele foi indicado por Alexandre Ramagem, impedido pelo Supremo Tribunal Federal (STF) de assumir o cargo.

A demissão culminou na saída do então ministro da Justiça Sergio Moro – que alegou, à época, que a troca seria uma tentativa do presidente Bolsonaro de interferir politicamente na corporação.

Nos bastidores, comenta-se que Torres e Rolando se dão bem e estreitaram relacionamento durante a passagem de Torres pela Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal. Os dois, porém, não pertencem ao mesmo grupo na PF.

Mudanças também na PRF

As mudanças não devem ficar restritas à PF. Nos bastidores, comenta-se que Anderson Torres deseja trocar também o diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Eduardo Aggio.

Antes de assumir a PRF, em maio de 2020, Aggio era assessor especial da Secretaria-Geral da Presidência da República. Apesar da intenção de substituição, ainda não houve a indicação de nome para o cargo.

Notícias Relacionadas »
Comentários »