27/04/2021 às 11h26min - Atualizada em 27/04/2021 às 11h26min

Rússia acusa Anvisa de decisão "política" sobre Sputinik V

Na segunda-feira (26/4) agência negou pedido de importação, distribuição e aplicação do imunizante russo

Com informações Metrópoles
Foto:Divulgação Sputinik
Os fabricantes da vacina Sputnik V, desenvolvida na Rússia para combater a Covid-19, criticaram a decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de negar o pedido de importação do imunizante para o Brasil e atribuíram o fato a uma “decisão política”.

“Os atrasos da Anvisa na aprovação da Sputnik V são, infelizmente, de natureza política e não têm nada a ver com acesso à informação ou ciência”, rebateram os produtores da vacina pelo Twitter. O posicionamento é do Instituto Gamaleya e do Fundo Russo de Investimento Direto.

Eles lembraram que, em março, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos admitiu ter pressionado o governo brasileiro para rejeitar a compra da vacina russa. A informação foi confirmada no relatório anual do governo norte-americano.

No momento em que a reunião acontecia, os desenvolvedores da vacina informaram ter compartilhado com a Anvisa mais documentos do que os solicitados pelas autoridades de 61 países onde a vacina tem o uso emergencial autorizado. Além da Rússia, Argentina, México, Paraguai e Hungria já aprovaram a Sputnik V.

“A Sputnik V compartilhou com a Anvisa todas as informações e documentações necessárias, muito mais do que o utilizado para homologar a Sputnik V em 61 países. Esperamos que a ciência, e não a pressão de outro país, seja usada para a tomada de decisão.”


 

Notícias Relacionadas »
Comentários »