28/06/2019 às 06h00min - Atualizada em 28/06/2019 às 06h00min

Produtores e estudantes conhecem os benefícios dos derivados do búfalo

Carne bubalina é superior à bovina, com alto teor de ômega 3, e possui 12 vezes menos gordura, 55% menos calorias e 11% a mais de proteínas.

Portal Amapá
Palestra com a médica veterinária Caroline Pessoa, do Ifap. (Philippe Gomes)

Palestras e debates sobre a atividade da pecuária bubalina amapaense e o uso de novas tecnologias de produção abriram o Circuito TecnoAgro 2019: 2ª ExpoBúfalo e 1ª ExpoLeilão, no Parque de Exposição da Fazendinha. Participaram na ocasião, produtores, estudantes e técnicos locais. 

A primeira palestra, “Carne de búfalo: quais seus benefícios? Inserir no mercado interno e externo”, do Instituto Federal do Amapá (Ifap), foi proferida pela médica veterinária Caroline Pessoa, que apontou, principalmente, as qualidades nutricionais dos bubalinos, boas práticas de higiene e um manejo qualificado direcionado aos pecuaristas.

De acordo com a veterinária, a intenção é difundir o conhecimento sobre as diferenças entre as carnes e conscientizar os consumidores finais sobre os benefícios em relação a carne bovina.

“A carne de búfalo é muito superior à carne bovina, possui alto teor de ômega 3, 12 vezes menos gordura, 55% menos calorias e 11% a mais de proteínas”, informou.

Apesar disso, segundo a palestrante, o mercado nacional quase não possui a identificação correta, e, muitas vezes, a carne de búfalo é vendida como carne bovina. Nesse sentido, a palestra também evidenciou a questão da inserção do produto nos mercados interno e externo.

“Na Europa, já existe um alto consumo de carne e derivados do leite de búfalo. Por conta disso, o primeiro passo é a conscientização do consumidor final, para que o mercado funcione tanto internamente quanto externamente”, ressaltou.

Considerando a importância da bubalinocultura para a economia e o desenvolvimento da pecuária no Amapá, o secretário de Estado do Desenvolvimento Rural, Daniel Montagner, lembrou que a feira é voltada para os negócios e transferência de conhecimento e tecnologias.

“Estamos aguardando cerca de 10 mil pessoas durante os dias do evento. São mais de 40 produtores interessados nos animais e também nas oportunidades de crédito que estão sendo disponibilizadas aqui. A transferência de conhecimento e tecnologia de ponta é a chave para o desenvolvimento do setor no Amapá”, disse o secretário.

 


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »