26/04/2019 às 14h00min - Atualizada em 26/04/2019 às 14h00min

Delegado-geral da Polícia Civil do Pará é homenageado com a Medalha do Mérito Tiradentes em Belém

A comenda é destinada a condecorar personalidades civis e militares que tenham prestado relevantes serviços à corporação

Polícia Civil
Delegado geral Alberto Henrique Texeira de Barros recebe medalha do mérito Tiradentes. ( LEANDRO SANTANA (ASCOM PCPA))
O delegado-geral Alberto Henrique Teixeira de Barros foi uma das personalidades homenageadas,  na sede do Comando-Geral da Polícia Militar, em Belém, durante a solenidade de entrega da Medalha do Mérito Tiradentes. A comenda é destinada a condecorar personalidades civis e militares que tenham prestado relevantes serviços à corporação e também a homenagear a policiais militares que tenham se destacado, de modo a contribuir para o aperfeiçoamento e projeção da instituição no âmbito nacional ou estadual. A honraria também foi entregue ao delegado Herbert Renan Souza, chefe de gabinete da Delegacia-Geral.
 

A Medalha é alusiva ao patrono das Polícias do Brasil, o alferes Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, em celebração pelo dia de Tiradentes celebrado em 21 de abril, quando também se celebra o Dia das Polícias brasileiras. Presidindo a cerimônia, o governador do Estado, Helder Zaluth Barbalho, parabenizou os 569 policiais militares promovidos em 21 de abril, e ressaltou os números alcançados nos três primeiros meses do ano, destacando como fator decisivo o esforço dos policiais militares e dos demais órgãos que integram o Sistema de Segurança Pública do Estado. “Se fizermos uma comparação dos primeiros 21 dias de abril de 2019 com o mesmo período de abril de 2018, podemos constatar que houve uma redução de 40% no número de homicídios no Estado do Pará”, afirmou Helder Barbalho.

 

Ainda, segundo o governador, em Belém o número de homicídios caiu em 70%, enquanto em Ananindeua, a redução foi de 86%. “Uma demonstração clara de que o trabalho conjunto daqueles que estão de maneira ostensiva nas ruas, que trabalham com prevenção, que pensam a estratégia, somado ao apoio da Justiça do Estado do Pará, está comprovando ser possível reduzir os índices de violência”, frisou Helder Barbalho, que é comandante em chefe da PM.

ESTRATÉGIAS 

O comandante-geral da Polícia Militar e anfitrião da cerimônia, coronel José Dilson Melo de Souza Júnior, destacou entre as “estratégias modernas de gestão” a Operação Polícia Mais Forte, que representa o incremento de mais de 50% na presença policial nas ruas da Região Metropolitana de Belém, em pontos de grande circulação e nos horários mais críticos. “Os 100 primeiros dias de gestão do atual governo registraram queda de 28% no número de roubos em todo o Estado do Pará”, informou o coronel Dilson Júnior.

Ele também enfatizou a intensificação do policiamento nos sete bairros de maior incidência criminal na Região Metropolitana de Belém e o apoio social dado aos policiais militares, como a viabilização do Programa Habitacional para Policiais Militares, em conjunto com o Banco do Estado do Pará (Banpará); a institucionalização do aplicativo SOS PM e o fortalecimento do Programa PM Vítima, sobretudo com o pagamento do chamado Aluguel Social para agentes em situação de risco.

“Ao reverenciar nosso patrono, estamos homenageando também todos os policiais militares de hoje, que, mesmo no anonimato, defendem o direito à vida, à liberdade, à segurança e à propriedade, mesmo com o sacrifício da própria vida”, ressaltou o comandante-geral da PM. Para dar continuidade ao trabalho desempenhado pelas instituições de segurança pública do Estado, Helder Barbalho frisou que uma das metas do Governo é priorizar a abertura de concurso público, com 7 mil vagas, para oficiais e praças da PM. O certame deve começar no segundo semestre deste ano, e as vagas serão preenchidas conforme a necessidade da administração pública.

HOMENAGENS E PROMOÇÕES 

Trezentos e sessenta e nove policiais militares, autoridades civis e militares de outras forças foram agraciados com a Medalha do Mérito Tiradentes, reconhecimento dedicado a personalidades que tenham contribuído com o trabalho da Polícia Militar. Um dos agraciados foi o cabo Ris Caribé, que há três anos foi revertido à corporação, após passar sete anos afastado das atividades devido a problemas de saúde. “Receber a Medalha Tiradentes é uma injeção de ânimo para gente, saber que é útil, saber que a gente é visto pelos companheiros é salutar”, declarou o homenageado.

A cerimônia marcou também a promoção de 569 policiais militares, sendo 151 oficiais e 418 praças. Entre os promovidos está a capitã Charlenny Lobo, policial militar há 10 anos, integrante do 20º Batalhão. “Ser uma mulher dentro de uma instituição dominada por homens torna a caminhada mais difícil, porque temos que, diariamente, mostrar que somos capazes. Contudo, chego ao posto de capitão com o sentimento de dever cumprido, contribuindo para uma sociedade mais justa e ética”, afirmou a oficial, que agradeceu aos familiares e amigos pela conquista. Da solenidade também participaram o vice-governador do Estado, Lúcio Vale; o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado; autoridades civis e comandantes militares das Forças Armadas e auxiliares.

Ao final da cerimônia, o público assistiu ao desfile dos sete pelotões componentes da tropa representativa, comandados pela tenente-coronel Andréa Keyla Leal Rocha, comandante do Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (Cfap). A data de 21 de Abril representa um marco para as polícias militares do Brasil, que têm Joaquim José da Silva Xavier como seu patrono. Símbolo da Inconfidência Mineira, Tiradentes foi alferes de cavalaria, posto comparado hoje ao de 2° tenente, e morreu enforcado em praça pública no dia 21 de abril de 1792, na cidade do Rio de Janeiro.


Notícias Relacionadas »
Comentários »