26/07/2021 às 01h30min - Atualizada em 26/07/2021 às 01h30min

Causas da dor de cabeça - como o diagnóstico é realizado

É importante diagnosticar as causas da dor de cabeça corretamente para que uma terapia específica possa ser iniciada para ajudar o paciente a se sentir melhor.

DINO
https://www.willianrezende.com.br/
dor de cabeça


É importante diagnosticar as causas da dor de cabeça corretamente para que uma terapia específica possa ser iniciada para ajudar o paciente a se sentir melhor. As informações relatadas ao médico são a parte mais importante do processo de diagnóstico. Ao fornecer o máximo de informações possíveis, maiores as chances de obter um diagnóstico preciso e um plano de tratamento.

Durante a avaliação da dor de cabeça, o médico pergunta sobre o histórico de dor de cabeça, sendo interessante relatar os seguintes fatores:

Como são as dores de cabeça;
Quantas vezes as crises acontecem;
Quanto tempo dura cada crise;
Quanta dor as crises causam;
Quais alimentos, bebidas ou eventos desencadeiam as dores;
Quanta cafeína é ingerida por dia;
Qual é o nível de estresse;
Quais os hábitos de sono;
Se o paciente tem problemas no trabalho.

A dor de cabeça pode ser diagnosticada com mais precisão, se o paciente relata ao médico quando a dor de cabeça começou, há quanto tempo ele experimenta dor de cabeça, se existe um único tipo de dor de cabeça ou vários tipos de dores diferentes, se a atividade física agrava a dor de cabeça, quais eventos estão associados à dor de cabeça, quem mais na família tem dores de cabeça e quais sintomas ocorrem entre as dores de cabeça.

O médico também fará perguntas adicionais sobre o desempenho no trabalho, antecedentes familiares e se há algum histórico de abuso de drogas.

Histórico de exames realizados e tratamentos

Também é importante fornecer ao médico um histórico de tratamentos anteriores para dor de cabeça, quais medicamentos já foram tentados e quais medicamentos estão sendo tomados atualmente. Se algum exame foi realizado anteriormente, é interessante levá-lo à consulta. Isso pode economizar tempo e evitar a repetição de exames.

Exames físicos e neurológicos

Após completar a avaliação do histórico, o médico fará exames físicos e neurológicos, procurando sinais e sintomas de uma doença que possa estar causando a dor de cabeça. Esses sinais e sintomas podem incluir febre, infecção, pressão alta, fraqueza muscular, dormência ou formigamento, fadiga excessiva, querer dormir o tempo todo, episódios de perda de consciência, problemas de equilíbrio ou mesmo queda, problemas de visão (visão embaçada, visão dupla, pontos cegos), confusão mental ou mudanças na personalidade, comportamento inadequado, dificuldades de fala, convulsões, tontura, náusea ou vômito.

Os testes neurológicos se concentram em descartar doenças que também podem ser causas da dor de cabeça, como epilepsia, esclerose múltipla e outras doenças cerebrovasculares. Pode-se suspeitar de um distúrbio do sistema nervoso central no desenvolvimento de dores de cabeça graves. Esses incluem:

Tumor;
Abscesso;
Hemorragia (sangramento dentro do cérebro);
Meningite bacteriana ou viral (uma infecção ou uma inflamação da membrana que cobre o cérebro e a medula espinhal);
Pseudotumor cerebral (aumento da pressão intracraniana);
Hidrocefalia (acumulação anormal de fluido no cérebro);
Encefalite (inflamação do cérebro);
Coágulos de sangue;
Trauma na cabeça;
Obstrução ou doença do seio nasal;
Malformação (como Arnold-Chiari);
Lesões;
Meningite;
Aneurisma.

É possível descobrir as causas da dor de cabeça

Depois de avaliar os resultados da história de dor de cabeça, do exame físico e do exame neurológico, o médico deve ser capaz de determinar qual o tipo de dor de cabeça, se um problema sério está presente ou não e se exames adicionais são necessários.

Dr. Willian Rezende Neurologista
Av. Ibirapuera, 2907 - Conjunto 1618
CEP: 04029-200
São Paulo - SP
Telefone: (11) 3522-9515
WhatsApp: (11) 96581-5547

Notícias Relacionadas »
Comentários »