30/07/2021 às 19h15min - Atualizada em 30/07/2021 às 19h15min

90% dos efeitos colaterais da vacina da Pfizer em adolescentes não são graves

A maioria dos que relataram efeitos colaterais experimentaram condições não sérias.

Com informações CNN
Foto:Reuters/Denis Balibouse

Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, divulgaram nesta sexta-feira, 30, novos dados que mostram que, entre 8,9 milhões de adolescentes vacinados pelo imunizante da Pfizer, entre dezembro e julho, foram recebidos relatórios de eventos adversos para cerca de 1 por 1.000 vacinas da Pfizer. A maioria dos que relataram efeitos colaterais experimentaram condições não sérias, e a miocardite cardíaca foi listada entre 4,3% de todos os relatos.

Segundo o relatório, No geral, 8.383 ou 90,7% das notificações foram para eventos não graves e 9,3% foram para eventos graves, incluindo morte. Nenhum relato de morte foi determinado como resultado de miocardite. Apenas entre as raras notificações graves, as mais comuns foram: dor no peito em 56,4%; troponina elevada, o que pode indicar um problema com o coração, em 41,7%; e miocardite, ou inflamação do músculo cardíaco, em 40,3%.

Os pesquisadores do CDC escreveram nos novos dados que, “Reações locais e sistêmicas após a vacinação com a vacina Pfizer-BioNTech foram comumente relatadas por adolescentes de 12 a 17 anos aos sistemas de monitoramento de segurança de vacinas dos EUA, especialmente após a dose 2”, escreveram os pesquisadores. "Uma pequena proporção dessas reações é consistente com miocardite."


Notícias Relacionadas »
Comentários »