06/07/2019 às 06h00min - Atualizada em 06/07/2019 às 06h00min

Defesa Social da Sejusp realiza 8,4 milhões de atendimentos em 13 anos

GTA, Ciodes e Segurança Comunitária foram responsáveis por atender a população em transporte aéreo, chamadas de emergência e capacitações.

Portal Amapá
Aspecto de um atendimento do GTA em aldeia da região do Parque Tumucumaque. (GTA/Sejusp)

Três unidades operacionais de defesa social, da Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública (Sejusp), completaram 13 anos de atividades: o Grupo Tático Aéreo (GTA), o Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciodes) e a Coordenadoria de Segurança Comunitária (CSC). Juntos, esses três órgãos realizaram mais de 8,4 milhões de atendimentos nesse período.

Criados por iniciativa do governador Waldez Góes, através de Decreto em 2006, o GTA, o Ciodes e a CSC estão submetidos à gestão da segurança pública e defesa social da Sejusp.

GTA

Desde a criação do GTA, ele ficou quatro anos parado (2011-2014) por falta de aeronave. Com 9 anos de atividades (2006-2010 e 2015-2019), foram contabilizados 4.378 atendimentos sendo 165 apenas este ano. Foram ações de patrulhamento aéreo, missões de resgate e salvamento, translado, treinamentos, dentre outras. Desde que começou a operar em dezembro de 2015, quando o governo conseguiu comprar a aeronave, o helicóptero voou por 1.230 horas para as referidas ações em atendimento à população.

“Nossa missão é contribuir prestando um serviço de excelência, visando à satisfação da população, planejando e executando nossas atividades com os recursos disponíveis”, disse o coordenador do GTA, comandante Ajaje Rachid Neto.

Ciodes

O Centro Integrado de Operações de Defesa Social é o órgão com o maior número de atendimentos, até por sua natureza de chamadas de urgência e emergência e, por ser o único órgão a integrar todas as instituições da segurança pública para atender ao chamado população. Foram 8 milhões em 13 anos. No primeiro semestre de 2019, os números de atendimentos já somam 46.284, uma média anual de 616 mil atendimentos, sendo 92 mil mensais e 3 mil diários.

Além dos registros e despachos de chamadas pelos números 190 e 193, o Ciodes mantém diversos projetos sociais, como o “Tatame da Cidadania”, “Alôzinho” (que combate trotes telefônicos, cuida da prevenção ao bulliyng, feminicídio e combate às drogas), “Projeto Acolher” de prevenção do suicídio e “Boleiros do Amanhã”, que funciona como escolinha de futebol.

“O Ciodes é o setor emergencial da segurança pública. Nossos servidores estão muito bem treinados e qualificados. Oferecemos aquilo que a segurança pública pode e deve proporcionar ao cidadão”, evidenciou o coordenador do Ciodes, Paulo César Martins, que também é delegado de Polícia Civil.

Em maio deste ano, por exemplo, os atendentes do Ciodes foram capacitados sobre como abordar e encaminhar os casos de usuários que ligam para o 190 ou 193 em busca de socorro querendo tirar a própria vida – uma novidade que se tornou recorrente nos últimos meses.

CSC

Por sua vez, a Coordenadoria de Segurança Comunitária realizou mais de 60 cursos nesse período de 13 anos. A CCS também executa programas sociais e educativos envolvendo escolas e outros setores da sociedade.

“Destacamos os projetos Escola Sem Drogas e Escola Sem Violência, implantado em 2015 e até hoje em atividade. Foram mais de 6 mil alunos beneficiados. Tudo isso em parceria com escolas públicas e particulares”, pontuou a coordenadora de Segurança Comunitária da Sejusp, major PM RR Marizete Magalhães.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »