24/08/2021 às 13h32min - Atualizada em 24/08/2021 às 13h32min

Ministros europeus admitem que nem todos serão evacuados do Afeganistão

Ministros de Alemanha, Reino Unido e Espanha admitiram que nem todos os civis que colaboraram com os ocidentais durante o período de ocupação no Afeganistão serão evacuados a tempo.

Com informações do IstoÉ
Foto:Reprodução/CPL Sam Shepherd

Nesta terça-feira, 24, ministros de Alemanha, Reino Unido e Espanha admitiram que nem todos os civis que colaboraram com os ocidentais durante o período de ocupação no Afeganistão serão evacuados a tempo. Em entrevista a um canal de TV, o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, afirmou que “mesmo que a evacuação siga até 31 de agosto ou alguns dias a mais, não será o suficiente para evacuar quem nós, ou os Estados Unidos, querem retirar de lá" cita.

Ele também relata que o governo está em contato com a proximadamente "100 cidadãos alemães e suas famílias e estamos buscando levá-los ao aeroporto de maneira razoavelmente segura. Depois, nós os distribuiremos em um dos nossos aviões” conta. No entanto, Maas destaca que mesmo que não dê tempo de retirar todos até o prazo final do acordo estabelecido entre Estados Unidos e Talibã, será preciso fazer novas negociações para continuar a evacuar pessoas “Trabalharemos para que ao fim da evacuação militar não seja o fim da possibilidade de levar pessoas para fora do Afeganistão. Por mais amargo que possa ser, precisaremos conversar com os talibãs. A alternativa seria deixar que as pessoas sobrevivam sozinhas e isso não vamos fazer”, acrescentou.

Outra autoridade que falou sobre o assunto foi o ministro da Defesa, Ben Wallace, que em entrevista também destacou que “nem todos os afegãos” que querem fugir dos talibãs, conseguirão. Ele informou que os aliados evacuaram aproximadamente 48 mil afegãos, além de seus funcionários e militares, mas disse “nem todos” que estão nas listas prioritárias serão retirados. Já a ministra de Defesa da Espanha, Margarita Robles, disse que mesmo com intensos esforços para evacuar “o máximo de pessoas possíveis”, haverá “algumas pessoas que ficarão lá por conta da situação verdadeiramente dramática” e destaca que “Os talibãs estão se tornando cada vez mais agressivos e há uma situação de violência cada vez mais evidente. Estamos fazendo o máximo possível, mas há pessoas que ficarão lá por motivos que não dependem de nós”, acrescentou Robles.


Notícias Relacionadas »
Comentários »