08/07/2019 às 06h00min - Atualizada em 08/07/2019 às 06h00min

Após 20 anos, Amapá e Guiana Francesa retomam cooperação para ações culturais

Franceses propuseram a criação de um comitê para tratar, especificamente, das relações culturais entre as duas regiões.

Portal Amapá
Proposta de retomada da cooperação cultural foi feita pelo diretor do Instituto Francês do Brasil, Alain Boudon. (Marcelo Loureiro/Secom)

Em pauta no segundo e último dia da XI Reunião da Comissão Mista de Cooperação Transfronteiriça (CMT), foram evidenciadas as demandas culturais entre Amapá e Guiana Francesa. A delegação francesa propôs a criação de um comitê para acompanhar as ações culturais entre as duas regiões, sendo composto por representantes governamentais e sociedade civil organizada, com espaço para indígenas e reuniões semestrais.

“Observamos que as ações culturais atualmente são particulares e bem feitas, mas o Amapá e a Guiana Francesa não estão trabalhando juntos. Por isso, houve um distanciamento institucional em relação a esse assunto e, agora queremos mudar esse cenário, através deste comitê”, justificou o diretor do Instituto Francês do Brasil e conselheiro de Cooperação e Ação Cultural, Alain Boudon.

O comitê envolve, ainda, o fortalecimento estrutural para uma rede de museus entre as duas regiões. A Guiana Francesa tem o interesse em promover acervos brasileiros em seu território e evocar materiais de sua cultura no lado brasileiro, envolvendo o Museu Sacaca, em Macapá. “Temos uma rica e extensa linha de materiais culturais de antepassados e povos indígenas desta região e, por isso, necessitamos evidenciar esta parte cultural”, completou Alain Boudon.

A chefe de gabinete da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), Clotilde David, foi quem representou o Amapá nas discussões sobre esta cooperação. Ela recordou que existia esse intercâmbio há 20 anos com a Guiana, mas foi desativado. “Com essa intenção dos representantes franceses em estabelecer essa relação, nos colocamos também à disposição e faremos todos os esforços para termos programações envolvendo a parte cultural entre Brasil e França”, assegurou.

As preposições dos franceses envolvem, também, estudos socioeconômicos nas regiões e intercâmbio entre apresentações multiculturais de artistas amapaenses e guianenses. Todas elas foram inseridas na ata da reunião da CMT.

Do lado brasileiro, as iniciativas do comitê ficarão sob a responsabilidade da Secult e o prazo para a formação geral e efetiva do grupo, será de responsabilidade das instituições culturais do Amapá e da Guiana Francesa.

Relação transfronteiriça

A fronteira do Amapá com a Guiana Francesa possui uma população estimada em 32 mil habitantes, sendo 26,6 mil pessoas só em Oiapoque, no extremo norte do Amapá, e aproximadamente 3 mil em Saint Georges, ambos divididos pelo Rio Oiapoque e, agora, interligados pela Ponte Binacional.

A Guiana Francesa é um departamento ultramarino da França com uma população total estimada em 296.711 e tem como principais atividades econômicas a agricultura, o turismo e a pesca. Para tratar das relações transfronteiriças, foi criada a CMT como parte do Acordo de Cooperação Mista, assinado em maio de 1996 e ratificado com o Plano de Ação da Parceria Estratégica, registrado e divulgado em fevereiro de 2008.


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »