11/10/2021 às 08h48min - Atualizada em 11/10/2021 às 08h48min

Moradores do distrito do Bailique/Ap terão energia renovável em casa

As famílias residentes no arquipélago contarão com kits de placas solares que serão fornecidas pelo Governo Federal.

Ascom/PMM
Foto: PMM

A Prefeitura de Macapá, em parceria com a Eletronorte, iniciou o mapeamento de residências no distrito do Bailique para inclusão no programa Mais Luz Para a Amazônia (MLA), programa do Governo Federal que pretende universalizar a energia elétrica renovável em comunidades ribeirinhas, através da utilização de placas solares.

O programa atenderá mais de 200 mil pessoas dos estados da Amazônia Legal, formada pelos estados do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e parte do Maranhão. O investimento está orçado em mais de R$ 2,5 bilhão em recursos da União.

No Amapá, as atividades iniciaram pelo distrito do Bailique. Participaram do trabalho em conjunto com a Eletronorte, as secretarias municipais de Mobilização e Participação Popular (Semopp), de Assistência Social (Semas) e de Iluminação Pública (Semip).

A jornada iniciou no dia 28 de setembro e finalizou nesta sexta-feira (09). Esta primeira etapa consiste na identificação dos moradores que serão atendidos pelo programa. Durante os doze dias, a equipe desenvolveu o mapeamento de casas nas comunidades Ponta da Esperança, Capinal, Arraiol, Livramento, Santo Antônio, Vila Maranata, Vila Equador, Junco, Vila Galiléia, Vila Boa Esperança, Monte Carlos, Igaçaba, São Pedro do Bailique, Ilha Vitória, Bom Amigo, Açaituba, Navio, Mutá, Mupéua, Papagaio, Itaboca, Igarapé Bailique Grande, Igarapé Grande do Curuá, Limão do Curuá, Freguesia, Marinheiro de Fora, Maúba, Bom Jardim, Franco Grande, além de casas isoladas. Curuá, Limão do Curuá, Freguesia, Marinheiro de Fora, Maúba, Bom Jardim, Franco Grande, além de casas isoladas.

Quem pode participar
A prioridade no atendimento do MLA são as comunidades de áreas distantes e sem nenhum acesso à rede pública de energia, ou que são atendidas somente por geradores a diesel. Com as placas solares, a previsão de fornecimento da energia é de 24h ininterruptas.

“É uma missão que o poder público tem, de dar qualidade de vida melhor para as comunidades longínquas que sofrem com a falta de energia elétrica no Amapá. Isto vai incrementar a produção agrícola, melhorar a conservação dos alimentos e também gerar economia”, explica André Balieiro, técnico do departamento de gestão de programas do governo da Eletronorte.

Cadastro Único para incluir
Possuir o Cadastro Único do Governo Federal é requisito indispensável para o acesso do beneficiário ao programa. Pensando nisto, uma equipe da Casa do Bolsa esteve presente durante todas as visitas às comunidades, realizando o cadastro e recadastro das famílias.

Para Vivaldina Paixão, de 55 anos, foi muito importante a equipe estar junto. Ela atualizou o CadÚnico na comunidade onde mora, a Vila Maranata. Segundo a dona de casa, a possibilidade de ter energia elétrica 24h traz esperança aos moradores.

“Para nós é um sopro de esperança. Nossa população já aguarda ansiosamente pela implantação desse projeto, que sem dúvidas vai trazer muito desenvolvimento para dentro da nossa comunidade e todo o Bailique”, disse.

Além das residências, também farão parte do programa as escolas, igrejas, postos de saúde, agência distrital, agências bancárias e centros comunitários localizados no distrito.

 


Notícias Relacionadas »
Comentários »