13/10/2021 às 12h02min - Atualizada em 13/10/2021 às 12h02min

Justiça Itinerante: Jornada Fluvial ao Arquipélago do Bailique/AP será realizada no período de 18 a 22 de outubro

Devido à pandemia da covid-19, as atividades presenciais do programa estiveram paralisadas desde março de 2020, quando a última jornada foi realizada.

Tjap
Foto: Tjap

O Programa Justiça Itinerante retomará, no dia 18 de outubro (segunda-feira), as atividades da Jornada Fluvial ao distrito do Bailique. Serão cinco dias de atendimento e a Jornada tem início com a saída dos servidores de Macapá, no domingo (17), do canal do Jandiá, com chegada prevista ao arquipélago às 19 horas do mesmo dia. Devido à pandemia da covid-19, as atividades presenciais do programa estiveram paralisadas desde março de 2020, quando a última jornada foi realizada.

Para a juíza Laura Costeira, coordenadora do Programa Justiça Itinerante, a retomada do Programa representa levar cidadania para a população do Bailique. “Sabemos que a comunidade é precária em alguns serviços públicos, e a jornada itinerante permite o acesso a esses serviços”, disse.

A magistrada informou ainda que o Programa contará agora com novos parceiros, como Sebrae e Justiça do Trabalho, “o primeiro para levar empreendedorismo e o segundo combater a relações abusivas de trabalho”.

Segundo Virgílio Vieira, servidor do Comissariado da Infância e Juventude da Comarca de Macapá, toda uma estrutura informática e processual será instalada no Posto Avançado Vila Progresso, onde a equipe trabalhará de segunda a quarta-feira. “Na quinta-feira, vamos para o Porto Fábrica, que atende Itamatatuba e outras localidades, e na sexta-feira, vamos nos deslocar para Ipixuna Miranda e localidades vizinhas”, detalhou.

Na jornada serão ofertados serviços da POLITEC, com a Emissão de Carteira de Identidade; Bolsa Família, com a realização de cadastro nos programas assistenciais; Receita Federal, com verificação de cadastros de CPFs; CAESA, com fornecimento de produtos para limpeza da água; CEJUSC, com o programa de conciliação, Pai Legal do TJAP, DP-E e Ministério Público.


Notícias Relacionadas »
Comentários »