19/11/2021 às 20h19min - Atualizada em 19/11/2021 às 20h19min

Polícia Civil que matou empresária deixa prisão domiciliar e volta ao Iapen por decisão da Justiça

Com a decisão da Câmara Única do Tribunal, foi revogada a prisão domiciliar de Leandro da Silva Freitas, réu pela morte da empresária Ana Kátia.

Da Redação
Foto:Reprodução
A Justiça do Amapá decidiu pela revogação da prisão domiciliar de Leandro Silva Freitas, policial civil que responde pela morte da empresária Ana Kátia da Silva, que tinha 46 anos quando foi assassinada em 2020. O agente se apresentou nesta quinta-feira (18) e foi encaminhado ao Instituto de Administração Penitenciária (Iapen), após um ano em casa. 

A decisão da Justiça foi unânime e a prisão volta a ser preventiva. O réu aguardará em cárcere o andamento do processo e a definição se enfrentará ou não o júri popular.


Feminicídio 
Kátia se relacionava com Leandro a cerca de 2 meses quando foi baleada e morta na presença de um dos filhos no dia 8 de julho de 2020. O Ministério Público do Amapá ofertou denúncia que diz que foi o policial que matou a companheira. 

Leandro foi preso em flagrante e foi encaminhado para o Centro de Custódia Especial do Zerão. Em novembro de 2020 começou a cumprir a prisão em casa. 

Em outubro desse ano, o réu foi flagrado praticando exercícios fora da prisão determinada. Leandro chegou a ser detido e levado ao Ciosp do Pacoval, mas após esclarecimentos, foi liberado. A volta ao Iapen é fruto de recurso impetrado pela acusação no processo.

Notícias Relacionadas »
Comentários »