28/04/2022 às 08h20min - Atualizada em 28/04/2022 às 08h20min

Operação da PF afasta prefeito de Porto Grande/AP e desarticula esquema criminoso para fraudar licitações

Há indícios de que o prefeito de Porto Grande/AP, juntamente com secretários, ex-secretários municipais, além de um pregoeiro, direcionava licitações para empresários de sua confiança.

Com informações da PF
Foto: PF/Divulgação
Nesta quinta-feira (28), a Justiça Federal determinou o afastamento do prefeito de Porto Grande, José Maria Bessa (PDT), que também é alvo da Operação Mensário, deflagrada pela Polícia Federal desde as primeiras horas da manhã.



A operação  contou com participação de mais de 40 policiais federais para o cumprimento de 14 mandados de busca e apreensão na cidade de Porto Grande/AP.

Os trabalhos de hoje, que tem como foco o grupo político, é uma continuidade das Operações deflagradas ontem (27) – Confiedere e Stadio, e indicou a atuação de uma organização criminosa estruturada e com divisão de tarefas, nas secretarias municipais de Saúde, Educação e Obras de Porto Grande. 



O grupo agia no direcionamento de licitações e superfaturamento de contratos, desviando recursos públicos e se enriquecendo indevidamente.



Há indícios de que o prefeito de Porto Grande/AP, juntamente com secretários, ex-secretários municipais, além de um pregoeiro, direcionava licitações para empresários de sua confiança. Estes, em contratos superfaturados nas áreas de saúde, educação e obras, recebiam valores que, posteriormente, seriam repassados aos referidos agentes públicos.

A PF ainda descobriu que parte desse dinheiro desviado era destinado pelo prefeito a vereadores do município, mensalmente, para que o chefe do Executivo Municipal mantivesse o apoio político. O valor pago era em torno de 2 mil reais para cada vereador, sendo 4 da atual legislatura e 3 vereadores da passada.

O prefeito ainda não se manifestou sobre a operação.

Notícias Relacionadas »
Comentários »