29/07/2019 às 06h00min - Atualizada em 29/07/2019 às 06h00min

Corregedoria-Geral cumpre agenda de correição na 4ª Vara de Família da comarca de Macapá

Wellison Silva, acrescentou que o momento é de aprimoramento do fluxo de trabalho. “

TJAP
A juíza auxiliar da Corregedoria do TJAP, Lívia Simone Oliveira de Freitas Cardoso, ressaltou o papel da Corregedoria. (TJAP)

O corregedor do Tribunal de Justiça do Estado do Amapá (TJAP), desembargador Eduardo Contreras, a juíza auxiliar da Corregedoria do TJAP, Lívia Simone Oliveira de Freitas Cardoso, e a equipe de servidores formada por Wellison Silva, Rildo Lobato e Oberdan Almeida, realizaram  o procedimento de correição na 4ª Vara de Família, Órfãos e Sucessões da Comarca de Macapá.

De acordo com o desembargador-corregedor Eduardo Contreras, com a palavra correição subentende-se que irá verificar o que está errado e fazer a correção, o que é realmente um objetivo do procedimento, mas a principal finalidade é a oportunidade de aprimorar os serviços das Varas.

“Nós conversamos com os servidores, que são as pessoas que realmente operam a Vara e captamos as dificuldades que eles estão tendo. Falaram, por exemplo, das dificuldades nos processos de inventário. A corregedoria vai montar um curso rápido para esclarecer pontos que estão travando o andamento do processo para as partes que buscam a solução na Justiça”, declarou o corregedor.

“No caso do inventário, por exemplo, são os herdeiros que buscam a regularização de imóveis e bens, e sem a participação do Judiciário eles ficam prejudicados. Não podemos esquecer que o objetivo final da Corregedoria é atender o jurisdicionado”, finalizou o corregedor Eduardo Contreras.

A juíza auxiliar da Corregedoria do TJAP, Lívia Simone Oliveira de Freitas Cardoso, ressaltou o papel da Corregedoria. “Nossa intenção é trabalhar a Corregedoria não só como uma unidade fiscalizadora, mas como um órgão que também ofereça orientações e sugestões para a equipe que atua na unidade”, defendeu a magistrada.

O Diretor da Secretaria da Corregedoria, Wellison Silva, acrescentou que o momento é de aprimoramento do fluxo de trabalho. “Contamos com a participação do representante do Ministério Público, da Secretária do CEJUSC/Centro e da Diretora da Secretaria Única das Varas de Família, que apresentaram sugestões e indicaram os pontos de congestionamento na tramitação de alguns processos”, concluiu o servidor


Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »