13/05/2022 às 11h21min - Atualizada em 13/05/2022 às 11h21min

Homem é preso por torturar e ameaçar irmão com esquizofrenia com quatro pit-bulls

Caso aconteceu no Distrito Federal.

Com informações do Metrópoles
Foto: Reprodução/Pixabay

Na última quinta-feira (12), a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu um homem em flagrante acusado de torturar o irmão, de 39 anos, que tem esquizofrenia. O suspeito teria privado o irmão de se alimentar e de ter acesso a necessidades básicas de higiene.

Ele foi preso durante uma operação da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa, ou por Orientação Sexual, ou Contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência (Decrin) em parceria com a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA). Ao chegar no local, os policiais encontraram a vítima faminta, sem roupa, trancada em um quarto sem luz e com fezes no chão.

A PCDF descreve que o homem também tinha medo de sair do local e encontrar os quatro cachorros do irmão, da raça pit-bull: “A equipe que já acostumada a lidar com situações bem difíceis ficou muito chocada com tudo o que viu, com o nível de crueldade desse agressor. Não bastasse a falta de comida e água, ainda tinha tortura psicológica, com os cachorros pit-bulls”, disse a delegada-chefe Ângela Maria.

Durante a ação policial, a vítima chegou a desmaiar de fome e foi encaminhada para atendimento hospitalar, com suspeita de grave desnutrição e desidratação. Ainda no local, a polícia recebeu outras denúncias de que o suspeito agredia o irmão com cabos de vassoura e também teria agredido o próprio filho, de 11 anos, a irmã e a mãe idosa, que estão afastadas da residência por contarem com medidas protetivas. A delegada destaca que “É muito importante denunciar. Fica o alerta para que pessoas vizinhas que percebam alguma situação anormal, barulho diferente, que façam a denúncia. O anonimato é garantido”, frisou.

O suspeito foi preso por tortura contra pessoa com deficiência e, se condenado, pode pegar pena de dois anos e oito meses a 12 anos de reclusão.


Notícias Relacionadas »
Comentários »