19/05/2022 às 12h19min - Atualizada em 19/05/2022 às 12h19min

Coronel Heliane Braga assume Comando-Geral da Polícia Militar do Amapá

Solenidade militar, que inclui apresentação das tropas, oficializa a passagem de Comando. A atual comandante-geral tomou posse na segunda-feira, 16.

Ascom/Gea
Foto: José Baía/Secom

A coronel Heliane Braga assumiu, na quarta-feira, 18, o Comando-Geral da Polícia Militar do Amapá (PM-AP) no lugar do coronel Paulo Matias, à frente da instituição desde 2019. A troca de comando oficializa a posse da nova comandante, nomeada pelo governador, Waldez Góes, na última segunda-feira, 16. 

Durante a solenidade, Góes elencou entre as virtudes da nova comandante-geral, o forte senso de justiça e a liderança da oficial, que também é a primeira mulher a assumir o posto mais alto da PM-AP.

“Certamente, a história que você [Cel. Heliane] irá construir aqui terá uma dinâmica diferente. Independentemente de quem assume, seja posteriormente outra mulher ou um homem, cada um imprime sua forma, o seu jeito. E a sua maneira, que a senhora irá deixar no comando da PM, irá refletir em outras instituições”, parabenizou Góes.

O chefe do Executivo reconheceu, ainda, os serviços e importantes avanços implementados pelo ex-comandante-geral, coronel Paulo Matias.

“Durante esses três anos, dois deles profundamente marcados pela pandemia [de Covid-19] em que a Polícia Militar se fez presente e contribuiu para mantermos o nosso estado com a menor taxa de letalidade do país e a superar esta crise. Agora, é bom ver a polícia que está sendo repassada à coronel Heliane, os avanços, resultado do nosso planejamento de Governo com o apoio incondicional da Bancada Federal, com a liderança dos senadores Davi Alcolumbre e Lucas Barreto”, concluiu Góes.

 

Legado

Após três anos, o Cel. Paulo Matias, deixa o comando com seis obras estruturantes entregues, novos armamentos e equipamentos tecnológicos, investimentos no efetivo e ampliação a partir dos concursos públicos para soldado e oficial combatente.

 

"É notória a diferença entre o início [da gestão, em 2015] e o atual momento. Entrego o Comando à coronel Heliane com todas as contas pagas, compromissos honrados, fornecedores locais e nacionais satisfeitos e uma tropa fortalecida e valorizada", destacou o ex-comandante-geral.

Cel. Matias também enfatizou os importantes desafios superados pela corporação sob o seu comando.

"Superamos a pandemia de Covid-19, firmes, apesar das perdas de velhos companheiros. Atuamos incessantemente na garantia da lei e da ordem, e na repressão firme ao crime organizado, hoje com a taxa de criminalidade no Amapá em ritmo consistente de queda", concluiu Matias.

Coronel Paulo Matias está na PM-AP há quase 30 anos, 11 deles no Batalhão de Operações Especiais (Bope); onde atuou, inclusive, como comandante. Matias é bacharel em Geografia e pós-graduado em Gestão de Segurança Pública; se formou na Academia de Polícia Militar de Pau D’Alho, em Pernambuco; e possui especializações como Curso de Aperfeiçoamento Oficial (CFO) e Curso Superior de Polícias (CSP).

 

Novo Comando

Garantia da lei e da ordem, e a repressão firme ao crime organizado, foram alguns dos destaques feitos pela nova comandante-geral e primeira mulher a assumir o mais alto posto da instituição.

A coronel Heliane Braga integra a PM há 23 anos. Braga comandou o Batalhão de Policiamento Estadual (BPRE), até setembro de 2021, foi subcomandante do 1º Batalhão da PM, do Batalhão Ambiental, e chefiou o Centro de Formação e Aperfeiçoamento (CFA), onde foram propostas e implementadas diversas melhorias na formação dos militares da instituição.

“Quero honrar a minha instituição, fazer jus, corresponder às expectativas, seja através de políticas, seja através do plano de comando, do cumprimento do plano estratégico, dos planos nacional e estadual de segurança pública. Então, temos várias diretrizes para seguir com nosso papel de fazer a polícia crescer", enfatizou a comandante-geral.

Uma das primeiras medidas da Cel. Heliane à frente do Comando será a implantação de uma equipe militar especializada para fazer o primeiro atendimento a mulheres vítimas de violência doméstica: a Patrulha Maria da Penha. Serão quatro unidades especializadas, nas quais a maioria dos membros serão militares mulheres, que passaram por treinamento específico para atender a este tipo de ocorrência.

A previsão é que, inicialmente, as Patrulhas Maria da Penha sejam implantadas nos 1º, 2º, 6º e 4º Batalhões, para cobrir, respectivamente, as zonas sul, norte, leste e oeste de Macapá, e o município de Santana.


Notícias Relacionadas »
Comentários »