25/05/2022 às 15h14min - Atualizada em 25/05/2022 às 15h14min

México: turistas brasileiros sofrem ‘assalto’ pela própria polícia em Cancún.

Casal trafegava por rodovia com carro alugado, quando foi alvo de ameaça e extorsão após abordagem; liberação custou R$ 785

Com informações do R7
Foto: Reprodução/Instagram

Um casal de turistas brasileiros relatou um caso de ameaça e extorsão pela polícia do México, em Cancún, paraíso caribenho que é destino de viajantes do país todos os anos, na noite da última segunda-feira (23). Sem encontrar irregularidades, os policiais cobraram o que os viajantes tinham em espécie na hora da abordagem para devolverem os passaportes e os deixarem ir embora.

O caso aconteceu com o empresário Luiz* e a mulher dele, Rosana*, que passam férias no local. Eles trafegavam com um carro alugado por uma rodovia mexicana quando uma dupla de policiais, um homem e uma mulher, deu ordem de parada. Os brasileiros imediatamente obedeceram e encostaram o veículo no acostamento.

Os agentes solicitaram os passaportes e alegaram que a razão da abordagem era o condutor ter supostamente furado dois faróis vermelhos. Os brasileiros contestaram e disseram que não cometeram a infração. Mesmo assim, os policiais afirmaram que aplicariam uma multa de US$ 700 (o equivalente a R$ 3.400). Mesmo contrariados, os brasileiros exigiram a confecção da multa em papel.

Foi aí que começou a extorsão. A dupla de policiais solicitou a entrega dos passaportes e perguntou se os brasileiros haviam ingerido bebida alcóolica. Eles não haviam bebido, então os agentes se concentraram na suposta infração de cruzar a via com o farol vermelho.

“Eles disseram que a multa seria de US$ 700, mas aceitariam US$ 300 (cerca de R$ 1.500) em dinheiro. Nós nos recusamos a pagar e eu disse que não tinha essa quantia. Pedi para fazerem a multa. A policial, então, revistou a bolsa da minha mulher, onde havia dinheiro. Mesmo assim, eu disse que não pagaríamos e poderiam nos levar para a delegacia”, afirma Luiz.

O policial também vistoriou Luiz, que tinha uma nota de US$ 100 (o equivalente a R$ 485) e outra de 20 euros (cerca de R$ 100). “Sou totalmente contrário a isso e jamais quis pagar pela liberação, mas não havia outro jeito. O clima estava muito tenso. Entreguei o que eu tinha no bolso e ainda levaram mais US$ 40 [cerca de R$ 195] da minha mulher. Estávamos em uma estrada erma, no meio do nada e a cerca de 10 km do hotel, onde passavam poucos carros. Tanto que isso durou cerca de 10min e eles pararam um carro logo depois que nos liberaram”, explica. No total, o prejuízo foi de R$ 780 (US$ 140 e 20 euros).

Os turistas brasileiros procuraram o Consulado Honorário do Brasil em Cancún, que solicitou que eles formalizassem por e-mail a ocorrência. Na resposta, a autoridade consular informou que “alguns policiais inescrupulosos abusam dos turistas justamente porque a grande maioria desconhece seus direitos.”

 

Leia a íntegra da resposta do Consulado:

“Lamentamos o incidente, que, infelizmente, tem se tornado cada vez mais comum, devido à deterioração da situação de segurança no México. Alguns policiais inescrupulosos abusam dos turistas justamente porque a grande maioria desconhece seus direitos. Em caso de infração grave, o infrator pode ter o veículo rebocado, mas, na maioria das vezes, como excesso de velocidade, a pena é a imposição de uma multa. De toda forma, nesses casos, o melhor [é] insistir que deseja esclarecer a situação numa delegacia especializada em atender turistas.

Caso não seja possível ir à delegacia, é possível ligar para o 911 para reportar a situação. Se desejar, podemos fazer uma reclamação formal junto à secretaria de segurança pública, mas necessitaríamos seus dados de identificação e do veículo em que se encontravam, bem como mais elementos para identificar o policial. Na eventualidade de não saber o nome, pelo menos mencionar a data hora e o local do incidente.”

*Os sobrenomes foram preservados a pedido das vítimas


Notícias Relacionadas »
Comentários »