02/08/2022 às 09h34min - Atualizada em 02/08/2022 às 09h34min

Máquina era programada para fechar a cada 22 jogadas

O equipamento foi apreendido e levado ao IGP, onde os peritos identificaram que a máquina era manipulada para “agarrar” pouquíssimas vezes o objeto.

Com informações de JDV
Os peritos identificaram que a máquina era manipulada para “agarrar” pouquíssimas vezes o objeto. | GPSC

Muita gente já ficou frustrada ao tentar e quase conseguir capturar os bichinhos de pelúcia em uma máquina com garra em shopping, não é mesmo? No entanto, a culpa não era sua, a maioria desses equipamentos são uma fraude.

Pois é, essas maquinas são feitas para você não conseguir pegar nada, ou quase nenhum bichinho de pelúcia. Mas, como assim?

Na semana passada, uma operação do Instituto Geral de Perícias de Santa Catarina em conjunto com a 2ª Delegacia Regional de Polícia, resultou na apreensão de uma máquina grua de bichinhos de pelúcia em um estabelecimento comercial de Joinville. Ou seja, os donos se beneficiam muito com o ganho das máquinas.

O equipamento foi apreendido e levado ao IGP, onde os peritos identificaram que a máquina era manipulada para “agarrar” pouquíssimas vezes o objeto.

Além disso, a investigação também mostrou que os movimentos na grua eram feitos através de motores elétricos e o fechamento das garras ocorria através de tensão aplicada em um eletroímã.

Segundo o perito criminal Alcides Ogliari, no equipamento, a placa estava configurada para que o eletroímã recebesse a tensão correta para o fechamento da grua somente uma vez a cada 22 jogadas. “Ou seja, o jogador só tem a chance de pegar uma pelúcia após 21 jogadas perdidas”, afirmou.

Além dos exames nos componentes da máquina, foram realizados outros testes onde foi concluiu que o ganho na máquina não depende da habilidade do jogador, o que pode caracterizar jogo de azar.

 


Notícias Relacionadas »
Comentários »