07/08/2020 às 11h00min - Atualizada em 07/08/2020 às 11h00min

Covid-19: Maratona de Londres pode ser restrita à elite do atletismo

Evento que costuma reunir 40 mil corredores será em 4 de outubro

EBC
Foto: Instagram/Racebrosoffical.
A participação geral na Maratona de Londres foi cancelada este ano devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19), informou na manhã desta quinta-feira (6) a agência de notícias Reuters. A participação na edição deste ano, de acordo com fontes ouvidas pela agência, será limitada a corredores de elite, que farão um circuito com acesso restrito de público. 

A maratona, que atrai anualmente cerca de 40 mil corredores, boa parte deles no pelotão geral, tem sua vultosa arrecadação – milhões de libras – revertida à caridade. Em decorrência do impacto da pandemia no Reino Unido com o alto risco de contágio, já em abril os organizadores anunciaram o adiamento do evento para 4 de outubro. 

“As maratonas de Boston, Berlim, Nova York e Chicago foram todas canceladas e, embora Londres sempre parecesse se juntar a elas, o diretor de regata Hugh Brasher estava se apegando à esperança de que isso pudesse acontecer e já havia dito anteriormente que uma decisão final seria tomada até agosto. 7. Agora, é esperado um anúncio oficial ainda nesta quinta-feira (6)”, diz a Reuters. 

Ainda segundo a agência de notícias, Brasher deve confirmar ainda que o novo circuito terá várias voltas em torno de um parque central de Londres, com acesso controlado para limitar o número de fãs.

Entre os participantes do evento estão dois expoentes da modalidade: o atual campeão, o queniano Eliud Kipchoge, que busca o quinto título recorde em Londres, e o medalhista olímpico Kenenisa Bekeleke. Em outubro passado, o corredor etíope deixou escapar o recorde mundial para Kipchoge, por apenas dois segundos de diferença, ao completar a Maratona de Berlim, em 2h01seg41.


Notícias Relacionadas »
Comentários »